Em Campina, presidente do Congresso sepulta extensão dos mandatos de prefeitos e vereadores


De passagem por Campina Grande na última sexta-feira, 07, o presidente do Senado – e do Congresso Nacional –, Davi Alcolumbre, não usou meias palavras para enterrar o projeto que tramita na Câmara dos Deputados e propõe estender os atuais mandatos de prefeitos e vereadores até 2022 para, então, unificar as eleições.

Segundo Alcolumbre, “esse é um debate que não está no momento em voga no Congresso Nacional”. Ele reconhece que “há um desejo de uma parte significativa da população brasileira no que diz respeito à economia dos custos em relação às eleições”.

Mas, o presidente do Congresso Nacional faz uma ressalva: “As pessoas foram eleitas para um mandato determinado e a gente espera que, se essa mudança acontecer, ela comece a valer a partir de um período mais à frente”.

De acordo com a Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (FAMUP), “com a unificação das eleições, o Brasil economizaria US$ 12 bilhões com o custo do pleito, emendas e obras que paralisam”. Além disso, ainda conforme a entidade, “se levar em consideração os gastos com a organização das eleições e recursos utilizados em campanha, esse valor fica em US$ 3,5 bilhões”.

Imagem: Jefferson Rudy/Agência Senado

Nenhum comentário

.