Destaques

Em 24h, 3 morrem com suspeita de covid-19 no Pedro I, diz Romero

O prefeito Romero Rodrigues, através de uma live  na tarde desta segunda-feira, 6, fez um balanço sobre todas as ações da Prefeitura de Campina Grande dentro do plano de prevenção e controle à Covid-19.  Dois pontos se destacaram em sua fala: a revelação sobre três óbitos, nas últimas 24 horas, de pacientes que estavam internados no Hospital Municipal Dom Pedro I, sob suspeita de coronavírus, e um apelo para que a população não relaxe em relação às medidas de isolamento social.

Segundo o prefeito, todos os três óbitos foram de pacientes que já chegaram com sintomas respiratórios graves no Pedro I. Dois destes casos são de pacientes residentes em Campina Grande, que deram entrada na unidade no sábado (04), um homem de 56 anos e uma mulher de 77 anos que já tinha histórico de doença respiratória. Ela veio a óbito no domingo e ele nesta segunda.

Já o terceiro caso trata-se de uma mulher de 55 anos do município de Olho D’água, mas que já havia sido transferida para um hospital de Piancó, no Sertão do Estado. A paciente era hipertensa, deu entrada no Pedro I ontem e morreu na manhã de hoje. Apesar dos sintomas muito parecidos com Covid-19, todos os casos ainda são tratados como suspeitos e aguardam a confirmação do teste para confirmação de Covid-19.

De acordo ainda com o prefeito, a Secretaria Estadual de Saúde solicitou os exames e assegurou que, até esta terça-feira, 7, terá condições de confirmar ou não se a causa das mortes dos pacientes foi a Covid-19.

APELO À POPULAÇÃO

Após expor os dados atualizados sobre a Covid-19 em Campina Grande, o prefeito Romero Rodrigues voltou a pedir que a população ajude no esforço do Município de lutar contra o avanço da doença, reafirmando a necessidade de que se mantenha o máximo possível de isolamento social.

O prefeito destacou o sacrifício grande que muitos setores vêm fazendo em prol de melhores resultados para Campina Grande - a exemplo do comércio, das escolas públicas e privadas, e das universidades. "Não há meio mais eficaz para nós vencermos essa guerra do que o isolamento. Se cada um fizer sua parte, passaremos por essa tempestade sem grandes perdas", destacou o prefeito.

“Seria mesquinho e desumano falar de eleições nesse momento”, diz Tovar

Fonte: Da assessoria

O secretário de Planejamento de Campina Grande, o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), afirmou que esse é o momento de focar no combate à pandemia do coronavírus e não de debater política. Em entrevistas concedidas, nesta segunda-feira (6), ele foi questionado sobre a sua permanência na legenda tucana e a disputa pelo posto de prefeito da Rainha da Borborema.

“Seria da minha parte mesquinho, irresponsável, cruel e desumano falar sobre eleições nesse momento. Temos que nos preocupar em salvar vidas, para que a gente não chegue onde a Espanha ou os Estados Unidos chegaram”, destacou.

Tovar informou que o bloco que integra continua unido e que o prefeito Romero Rodrigues, o ex-senador Cássio Cunha Lima, o deputado federal Pedro Cunha Lima e o ex-deputado Bruno Cunha Lima permanecem dialogando sobre a sucessão na Rainha da Borborema. “Nós estamos juntos. Estamos unidos para que façamos as melhores escolhas”, destacou. 

O secretário afirmou ainda que permanece na prefeitura. “Acho que sou mais útil estando hoje como secretário, ajudando aqui em Campina Grande, dando minha contribuição para que as ações aconteçam. Como a Assembleia Legislativa está com os trabalhos, por conta do isolamento social, sendo executados de forma remota, acredito ser mais útil aqui na secretaria”, frisou.

“Esse não é o momento de discutir política, é o momento de pensarmos na vida das pessoas e depois que toda essa crise passar, eu me disponho a discutir política com quem quer que seja. Nesse instante não existe clima para isso”, finalizou.

Presidente do Sintab, vice da Aspol e ex-vereadores se filiam ao Podemos

O Podemos de Campina Grande, que tem como representante na Câmara Municipal e presidente estadual o vereador Galego do Leite, fechou o período da chamada janela partidária com uma nominata considerável. Além de Galego e da suplente Dona Fátima (que chegou a assumir temporariamente o mandato), a legenda filiou três ex-vereadores que tentam voltar à Casa de Félix Araújo.

São eles Rodolfo Rodrigues, Robson Dutra (que também foi deputado) e Bruno Gaudêncio. Destaque também para o ingresso no podemos de dois sindicalistas, caso de Frank Barbosa, que é vice-presidente da Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (Aspol). O outro, Giovani Freire, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab).

Além da disputa proporcional, o Podemos também poderá ter o principal nome da oposição na corrida pela Prefeitura de Campina Grande, com a advogada Ana Cláudia Vital do Rêgo, ex-primeira-dama e atualmente respondendo pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal.

PSD deve sair da janela com pelo menos dez vereadores em Campina Grande

As informações ainda não são oficiais porque, mesmo tendo o fechamento da chamada janela partidária, prazo para os candidatos trocarem de partido, se fechado na sexta-feira, na prática as legendas estendem o fechamento das listas – algumas, inclusive, aproveitarão ao máximo o limite para atualização dos cadastros, numa burla aos prazos que pode se estender até o dia 15.

De qualquer forma, num apanhado prévio até agora, a constatação é que o PSD deverá sair com uma força impressionante desse processo, formando quase a metade do corpo da Câmara de Vereadores de Campina Grande e montando um chapão extremamente pesado para as eleições de outubro.

Pela relação prévia, portanto ainda dependente de confirmação, o partido deverá contar com ao menos dez vereadores, podendo chegar a onze, além de três suplentes que assumiram temporariamente nesta legislatura.

Os filiados confirmados pelo blog em checagens diversas: Pimentel Filho, João Dantas e Ivonete Ludgério (os três já eram do PSD), Alexandre Pereira, Sargento Neto, Janduy Ferreira, Teles Albuquerque e Aldo Cabral. A confirmar: Nelson Gomes (que não será candidato à reeleição) e Márcio Melo. Algumas informações apontam que Rodrigo Ramos também pode ter aderido.

Além disso, foram para o PSD os suplentes Ivan Batista, Marcos Raya e Soraya Brasileiro. Também se filiaram nomes com expectativa de votação expressiva, como Eva Gouveia, Rafafá e Patrick Dorneles. O ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima, pré-candidato a prefeito, também mudou-se para o PSD.

Vereador Teles Albuquerque também se filiou ao PSD para buscar reeleição

O vereador Teles Albuquerque confirmou há pouco ao blog que, seguindo o caminho de outros membros do legislativo municipal, também atendeu ao convite do prefeito Romero Rodrigues, presidente do PSD estadual, e decidiu se filiar à legenda.

Teles se desincompatibilizou da Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer do Município no último sábado, cumprindo o prazo de afastamento definido pela legislação eleitoral, e reassume esta semana o mandato na Câmara de Vereadores, que está com as atividades suspensas por conta da pandemia.

O parlamentar foi eleito para o legislativo municipal campinense nas eleições de 2016 pelo PSC, somando 2.259 votos. Com Teles e as demais filiações, o PSD campinense terá um terço da bancada na Casa de Félix Araújo a partir desta semana.

Paraíba confirma segunda morte em decorrência do Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde confirma a segunda vítima fatal do Covid-19 no estado da Paraíba. Trata-se de uma mulher de 86 anos,portadora de Diabetes, Meningioma e Glaucoma, residente do município de Junco do Seridó, que apresentou início dos sintomas de Coronavírus no dia 25 de março e estava internada na UTI do Hospital Regional de Piancó desde a madrugada do dia 01 de abril.

A paciente apresentava um quadro clínico estável, o que permitiu a remoção para a unidade de referência em João Pessoa, mas veio a óbito durante o trajeto.

A Secretaria de Estado da Saúde se solidariza com a família neste momento de dor e de luto.

Tovar ainda não confirma troca do PSDB pelo PSD. Prazo acaba hoje

O secretário de Planejamento e Gestão do Município, Tovar Correia Lima, revelou durante entrevista na manhã desta sexta-feira, 03, na Campina FM que ainda não decidiu se vai trocar o PSDB pelo PSD para disputar as eleições de outubro. Ele confirmou que deverá finalizar algumas conversações para resolver se fica no ninho tucano ou não até o final do dia.

De acordo com Tovar, a decisão, assim como todos os encaminhamentos políticos, acabou ficando secundarizada diante da crise sem precedentes que o mundo atravessa por causa da pandemia do coronavírus. Ele disse que, em Campina Grande, o foco total é na preparação da estrutura necessária para o atendimento dos prováveis pacientes que deverão buscar socorro médico com o aumento do número de casos.

“Não há, realmente, clima para a agenda partidária nesse momento, mas eu tenho que resolver já que o calendário do processo eleitoral não parou. Sou pré-candidato a prefeito, vou decidir se fico no PSDB ou me filio ao PSD, mas confesso que minhas energias agora estão concentradas no trabalho contra a pandemia”, disse ao Jornal Integração.

Há algumas semanas, o prefeito Romero Rodrigues afirmou, também durante entrevista à Campina FM, que não era prioridade para seu grupo que o candidato a prefeito seja filiado ao PSD, legenda que o chefe do executivo municipal preside na Paraíba.

De olho no executivo, Nelson fica na Amde e não tentará reeleição
 
O vereador licenciado Nelson Gomes Filho anunciou na manhã desta sexta-feira que não vai se desincompatibilizar da Agência Municipal de Desenvolvimento (Amde) dentro do prazo necessário para estar apto a concorrer à reeleição para a Casa de Félix Araújo. O afastamento de membros do primeiro escalão que pretendem concorrer ao legislativo tem como prazo fatal este sábado, dia 04.

Com isso, Nelson estará de fato inelegível para o mandato na Câmara e, assim, ficará focado na disputa por um cargo na chapa majoritária. O vereador assegura que sua intenção em ser o cabeça da chapa, em partido que ainda será anunciado. No entanto, Nelson tem também o nome cotado – inclusive com apoio de alguns vereadores – para ser vice na chapa do candidato do grupo do prefeito Romero Rodrigues.

 “Já afirmei que não pretendo concorrer às eleições para o Legislativo este ano. Minha pré-candidatura a prefeito de Campina Grande já foi lançada e continua firme e forte”, destacou o parlamentar licenciado em nota. Para quem vai concorrer ao executivo, o prazo se desincompatibilização termina no dia 04 de junho.

Nelson já vinha ensaiando desde eleições passadas não mais concorrer ao cargo de vereador, razão pela qual sua decisão para este ano de não tentar voltar ao legislativo era vista com ceticismo. O vereador ainda faz mistério sobre o partido ao qual se filiará, mas o prazo termina hoje à meia-noite.

ALPB vai doar protetores faciais e 30 mil máscaras a profissionais da saúde

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, realizou mais uma live, nesta quinta-feira (2), em suas redes sociais, para destacar ações do Poder Legislativo em prol do combate ao Coronavírus (Covid 19). Na oportunidade, o parlamentar revelou que a Casa está viabilizando recursos para a aquisição de máscaras e protetores faciais para os profissionais da área de saúde do estado.

“A Assembleia da Paraíba entrou na campanha de solidariedade e ajuda mutua onde todos nós precisamos estar juntos e unidos para vencer o coronavírus. Iremos adquirir 2000 protetores faciais, que serão destruídos mil na regional de Campina Grande e mil para João Pessoa e região. Vamos adquirir também no mínimo 30 mil máscaras para distribuir com todos os profissionais de saúde da Paraíba. É a nossa contribuição enquanto Assembleia da Paraíba na campanha de luta e prevenção ao coronavírus”, declarou.

Galdino disse também que na próxima sessão remota a ALPB irá apresentar uma séria de propostas para auxiliar no combate a pandemia. O parlamentar afirmou que a economia que está sendo feita na ALPB, durante esse período de quarentena, vai contribuir para que a Casa possar doar materiais de proteção para os profissionais da Saúde. “A Assembleia tem economizado com energia, água, já que a sede está fechada durante esse período. Então, os recursos serão investidos em protetores e máscaras faciais para os trabalhadores da saúde”, ratificou.

Fonte: ALPB

Secretários que vão disputar prefeitura só precisam se afastar em junho

Há muita confusão, inclusive nas notícias veiculadas pela imprensa, sobre os prazos de desincompatibilização que vão se encerrar neste sábado, 04 de abril. E isso acontece porque, de acordo com as normas em vigor, há prazos distintos exigidos para o afastamento daqueles que ocupam cargos públicos e pretendem concorrer em outubro.

O principal equívoco é exatamente quanto aos secretários municipais ou de Estado que são pré-candidatos. Para eles, os prazos variam conforme o cargo a que pretendem concorrer. Sendo assim, quem for disputar as eleições para o legislativo deve se afastar com seis meses de antecedência (portanto, até o sábado, 04/04).

É provavelmente o caso dos vereadores Teles Albuquerque, Nelson Gomes Filho, Josimar Henrique e Joia Germano, que atualmente respondem por secretarias na Prefeitura de Campina Grande e, se quiserem concorrer à reeleição, precisam se desincompatibilizar.

Já os secretários que vão disputar o cargo de prefeito ou vice só precisam sair em junho. Situação provável de Tovar Correia Lima e Lucas Ribeiro, respectivamente respondendo pela Secretaria de Planejamento e Gestão e pela de Ciência e Tecnologia, assim como a secretária de Desenvolvimento e Articulação Municipal do Estado, Ana Cláudia Vital do Rêgo.

Servidores efetivos ou comissionados que não ocupem funções de primeiro escalão ou afins só precisam se desincompatibilizar em julho, ou seja, a três meses do primeiro turno das eleições, independente do cargo a que pretendam recorrer.

Clique AQUI e veja uma tabela com os prazos de desincompatibilização para diversos cargos.

Tovar faz pede que Governo do Estado zere ICMS de insumos hospitalares

O deputado estadual licenciado e secretário de Planejamento da Prefeitura de Campina Grande, Tovar Correia Lima (PSDB), fez um apelo, nesta quarta-feira (1), ao governador João Azevêdo (Cidadania) para que zere o ICMS dos insumos hospitalares, em especial luvas, máscaras, ventiladores mecânicos e álcool em gel, seguindo a iniciativa do Governo Federal, que já zerou os impostos federais de vários insumos e equipamentos hospitalares.

“Precisamos nesse momento da máxima ajuda possível para combater esse vírus e a isenção do ICMS para os produtos hospitalares garantiria um barateamento das mercadorias, facilitando assim a compra, principalmente, por parte dos municípios que precisam proteger a população, sobretudo os profissionais da saúde. Por isso, faço esse apelo ao governador João Azevêdo que adote essa medida”, destacou Tovar.

O secretário ainda destacou o empenho da Prefeitura de Campina Grande e do prefeito Romero Rodrigues no combate à pandemia. Entre as ações, lembrou a estrutura que está sendo montada no Hospital Municipal Pedro I para o atendimento aos pacientes. São 30 leitos de UTI e 60 de internação regular que estão sendo preparados.

O hospital Pedro I vai receber não só os pacientes de Campina Grande, mas de todos os municípios que são referenciados e que fazem parte da segunda macrorregião de saúde do Estado, que tem uma população de aproximadamente 1,2 milhão de habitantes, segundo dados do Plano Estadual de Saúde 2016-2019.

Além disso, o secretário também destacou o planejamento estratégico que projeta a retomada gradativa das atividades econômicas no município, a partir da próxima segunda-feira (6). O documento estabelece uma série de condições rígidas para os segmentos produtivos voltarem a funcionar neste momento em que as ações de prevenção e controle da Covid-19 se mantêm por força de decreto municipal.

Fonte: Ascom

João Pessoa e Campina vão concentrar 90% dos casos de coronavírus
O secretário de Saúde do Estado, Geraldo Antônio Medeiros, revelou durante uma transmissão nas redes sociais que a expectativa é de que cerca de 90% dos casos de coronavírus na Paraíba se concentrem entre Campina Grande e João Pessoa. A maioria deve ocorrer na capital. “O percentual de casos ocorre predominantemente, 90%, em João Pessoa e Campina Grande. Somente 10% dos casos ocorrerão em outros municípios do interior”, disse.

Geraldo Medeiros destacou que essa realidade justifica o fato de o Governo do Estado concentrar a estrutura de atendimento nestas duas cidades. “Por isso a importância de mostrar à população do interior da Paraíba porque estamos focando, numa estrutura complexa que requer o paciente portador do coronavírus, inicialmente em Campina e João Pessoa”, explicou.

Respondendo perguntas de jornalistas e internautas, Geraldo Medeiros ainda relatou por que pacientes mais graves de municípios do interior paraibano serão transferidos para Campina. De acordo com ele, a mão de obra qualificada é fator decisivo.

“Aqueles pacientes graves, que necessitam de cuidados intensivos, isto é, aqueles que são entubados, postos em ventilação mecânica, serão removidos imediatamente para Campina Grande porque essa doença requer uma equipe multiprofissional, de profissionais com expertise no manuseio de ventilação e o interior não dispõe destes recursos humanos em quantidade suficiente”, explicou o secretário.


Morre aos 62 anos o jurista e deputado federal Luiz Flávio Gomes

Morreu nesta quarta-feira, 01/04, aos 62 anos, o jurista e deputado federal por São Paulo Luiz Flávio Gomes, segundo informou o Hospital Sírio-Libanês, onde estava internado. De acordo com a unidade, ele “faleceu hoje, às 4h30, de decorrência de complicações de uma leucemia mieloide aguda diagnosticada em setembro de 2019, quando iniciou o tratamento”.

Ainda de acordo com o Sírio-Libenês, o professor “realizou transplante de medula em 14 de janeiro de 2020, porém seu quadro de saúde se complicou nos últimos dias”.

Jurista conhecido e respeitado, ele fundou em 2003 a rede LFG, a primeira de ensino no formato telepresencial de toda a América Latina e que foi vendida cinco anos depois à Anhanguera Educacional numa transação de quase 80 milhões de dólares. Luiz Flávio foi delegado de polícia, promotor de Justiça e juiz de direito em São Paulo.

Em 2018, o professor se elegeu deputado federal concorrendo pelo PSB e recebendo mais de 86 mil votos. Além de uma forte atuação na internet, escreveu cerca de 60 livros e foi comentarista de programas de televisão.

Patoense de 36 anos é primeira vítima fatal do coronavírus confirmada na PB

Um homem de 36 anos que estava internado em João Pessoa é a primeira vítima fatal do coronavírus na Paraíba. Segundo informações repassadas há pouco pelo secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, ele era natural de Patos e estava na UTI do Hospital Clementino Fraga, na capital. Não foram reveladas informações pessoais a respeito da vítima.

De acordo com Geraldo Medeiros, a confirmação laboratorial para COVID-19 se deu nesta segunda, 30 de março. Até ontem, doze casos de mortes com suspeita para coronavírus estavam sob investigação e 90 pacientes encontravam-se internados, 25 deles em unidades de terapia intensiva.

Os gestores da saúde acreditam que a Paraíba deverá enfrentar um aumento no número de casos de coronavírus neste mês de abril.

Sindicato sobre mototaxistas: “Você não sabe se morre do vírus ou de fome”

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Campina Grande, Isaque Noronha, afirmou durante fala à rádio Campina FM, que quatro em cada cinco profissionais do segmento pararam de trabalhar em virtude da pandemia do coronavírus. “É um problema seríssimo porque esse profissional não tem reservas financeiras e vive do que apura no dia a dia”, explicou.

Conforme Isaque, muitos mototaxistas têm medo de continuar trabalhando porque estão incluídos no grupo de risco e, além disso, a moto é um transporte de contato e o próprio capacete, item de segurança obrigatório, pode se transformar num agende transmissor.

Ele pediu que a STTP e o Procon ajudem o segmento, por exemplo fornecendo máscaras e toucas descartáveis. “O Procon tem recursos para isso, enquanto os mototaxistas não têm. E isso é um serviço para o usuário, que é o consumidor e estaria sendo auxiliado pelo órgão”, disse.

De acordo com o sindicalista, a pandemia e a crise de trabalho dela decorrente colocaram os mototaxistas frente a um dilema severo. “Deixa de rodar significa não ter renda, deixar de ter o dinheiro do pão de cada dia, o aluguel, a água, a luz. É muito difícil. A gente está nesse momento entre a cruz e a espada. Porque se você parar vai passar fome, se rodar pode ficar doente. Você não sabe se morre do vírus ou de fome”, lamentou Isaque.

.