Repulsa e receita para o vereador pessoense João Almeida não ser alvo de críticas


Não surpreendeu porque, depois de um tempo trabalhando na cobertura política, a gente deixa de se surpreender com qualquer coisa, e passa apenas a sentir asco e repulsa. É a reação diante da postura perniciosa do vereador pessoense João Almeida (PMDB), de retaliar o portal ParlamentoPB por conta de críticas a posicionamentos defendidos pelo peemedebista.

De acordo com a jornalista Cláudia Carvalho, editora do portal, a crítica que deixou João Almeida enfezado foi, justamente, por conta do posicionamento do peemedebista em favor da censura à mídia. O vereador, ao invés de usar a tribuna da Câmara pessoense para defender seus argumentos, resolveu apresentar requerimento para que contrato de publicidade da casa com o site de Cláudia seja cancelado.

A tentativa deslavada de censura, através de uma retaliação direta, é vergonhosa e denuncia o despreparo do seu autor para exercer o cargo que ocupa. Revela, ainda, um entendimento que parece ser comum entre certos grupos de parlamentares, inclusive na Câmara de Campina Grande, que confundem contratos legítimos com mordaça e obrigação de submissão (falamos sobre isso AQUI).

Mais que retirar de pauta o requerimento vergonhoso do vereador João Almeida, os demais membros da Câmara de João Pessoa deveriam ter a dignidade de repudiar publicamente a tentativa do peemedebista de transformar aquela casa legislativa em seu instrumentozinho particular de verrina.

Do contrário, o silêncio é o mesmo que referendar, por omissão, uma conduta deplorável que macula a imagem do legislativo pessoense ao pretender ferir de morte princípios constitucionais básicos. Quanto ao vereador João Almeida, há uma receita para não se arriscar a receber críticas: ficar calado. É melhor.

Nenhum comentário

.