POESIA: 'HOJE EU TÔ COM A GOTA'

Hoje eu tô com a moléstia dos cachorros
Hoje eu tô é com a gota serena
Tô mordido dos porcos, da pustema
Tô danado, atacado dos ferrolhos

Tô a fim de arrumar uma confusão
De dizer pra alguém: “Vá se lascar!!!”
E se o tal achar ruim, vamo embolar
Num cacete de fazer tremer o chão

Hoje eu num respeito nem patrão
Se me encher, mando logo se explodir
E, querendo, pode até me demitir
Aproveito e na fuça meto a mão

É assim, tô com a mulinga de verdade
Comendo a casca e jogando a banana
Invocado, que nem bato a pestana
Querendo que se lasque a humanidade

E se você que tá lendo não gostar
Vá se danar, você e sua raça!
Só não venha me encher e não me faça
Precisar mais ainda engrossar

Mas, se quiser, pode vir, você vai ver
Em sua cara eu desconto minha ira
De seu couro tiro uma boa tira
Frito, salgo e lhe dou para comer

E agora já chega de fazer
Essa tal invenção de poesia
Vou atrás de arrumar com quem moer
Porque pra matar ou pra morrer
É uma encrenca que eu quero pra esse dia!!

.
Não sei precisar quando fiz essa poesia. Mas, no dia a dia desse mundo velho e mau (e, cá para nós, lotado de gente safada), não é raro lembrar-me dela

4 comentários

Cláudio Goes disse...

É nesses dias que o sujeito deve procurar ficar em casa. Quem for crente, que reze se for boêmio, que tome umas. A raiva passa num instante...

JOSCO disse...

Hoje é terça-feira, 12 de jundo de 2011.

Eu me acordei tão bem, mas logo fiquei tão fulo de raiva que esta poesia traduz plenamente meus sentimentos!

EIS O MOTIVO: http://bit.ly/p4inkL

RECEBA UM FRATERNO ABRAÇO DE UM NORDESTINO

Lenildo Ferreira disse...

Amigo JOSCO, li a notícia. Realmente, que absurdo é este, companheiro? Deplorável. Um forte e fraterno abraço nordestino pra você também.

Anônimo disse...

mesmo com tanta fúria literária, ri do começo ao fim da poesia/desabafo. realmente, tem dias que só soltando os cachorros e depois dar boas risadas. vou enviar para alguns amigos e me lembrar de ler em ocasiões oportunas.

.