Facebook

header ads

Presidente do SindCampina se desculpa por expressão usada em relação a músicos


O presidente do Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Campina Grande, Divaildo Júnior, emitiu uma nota de esclarecimentos na tarde desta sexta-feira comentando declarações suas durante entrevista a uma emissora de televisão. Divaildo reconhece que se expressou de maneira inadequada ao ser questionado sobre o que deveriam fazer os cantores que não são instrumentistas e que, pelo decreto municipal, não podem ser acompanhados por um instrumentista durante apresentação em bares. Leia a nota, na íntegra.
.
Nota de Esclarecimento

Enquanto presidente do SindCampina e da Abrasel-Cg venho a público pedir desculpas aos músicos campinenses pelo uso inadequado do termo “ter que se virar”, em recente entrevista a uma emissora de televisão, quando comentávamos que o decreto Municipal que regulariza a reabertura dos bares e restaurantes de Campina Grande traria várias medidas restritivas ao funcionamento das empresas – medidas essas que são de ordem pública, contidas em decreto municipal e leis ordinárias.

No decreto de reabertura ficou determinado que algumas atividades recreativas ofertadas por bares e restaurantes continuariam proibidas, a exemplo dos playgrounds e da música ao vivo.

Diante dessa proibição, por parte do poder público, solicitamos reunião com o coordenador do PROCON municipal para que fosse discutida a possibilidade de liberação da música ao vivo e do uso do playground como forma de oferecer mais serviços aos nossos clientes.

Imediatamente recebemos resposta positiva do coordenador do Procon - Rivaldo Rodrigues - que, após consultar o prefeito Romero Rodrigues, decidiram pela flexibilização da música ao vivo, porém com a restrição, nesse primeiro momento, de ter apenas um artista no palco. 
.
O processo de reabertura tem sido exaustivo e desgastante para todos os setores, por isso externo publicamente minhas desculpas aos músicos de nossa cidade pelo mau uso do termo “ter que se virar”, quando na verdade o que quis explicitar foi que com as restrições impostas pelo decreto eles teriam dificuldades em se adaptar a essa nova realidade laboral.

Aproveito o momento para reafirmar que estamos, enquanto associação, à disposição da categoria para compor o pleito ao governo municipal de forma respeitosa e organizada, apresentando estratégias e buscando soluções conjuntas e benéficas para todos os envolvidos.

Destaco ainda, que os bares e restaurantes têm interesse relevante no retorno de todas as atividades, tendo em vista que estamos junto com os músicos aprendendo diariamente a nos virar com as contas, tributos e uma infinidade de protocolos sanitários.

Campina Grande, 17 de Julho de 2020

Divaildo Bartolomeu de Lima Júnior
Presidente do SindCampina e da Abrasel-Cg

Postar um comentário

0 Comentários