Procon autuou 16 lojas na semana por descumprir normas da quarentena


Informações da assessoria

A fiscalização do Procon de Campina Grande segue o monitoramento do comércio local no período de quarentena. Em cinco dias oito lojas foram notificadas por estarem funcionando com algumas irregularidades quanto ao uso de equipamentos de proteção individual e oito foram autuadas por estarem funcionando sem permissão.

O coordenador executivo do Procon de Campina Grande, Rivaldo Rodrigues falou que alguns empreendimentos que tem permissão para funcionar estavam desrespeitando as regras da quarentena.

“Nas visitas ao comércio do Centro da Cidade nossa fiscalização encontrou lojas em que os funcionários não usavam máscara ou então estavam permitindo a entrada de clientes sem a máscara, o que é proibido hoje na Paraíba. Também encontramos estabelecimentos que deveriam estar trabalhando apenas com delivery, mas que estavam deixando que os clientes entrassem nas lojas e formassem aglomerações. Apesar do endurecimento da fiscalização a partir desta semana, não houve ainda nenhum fechamento de loja ou cassação de alvará de funcionamento, mas é possível, caso as lojas autuadas e notificadas continuem a permanecer contrariando as normas da quarentena”, explicou Rivaldo.

Em Campina podem funcionar os serviços essenciais como supermercados, padarias, restaurantes (entregas no balcão ou delivery), cafés e congêneres, lojas de conveniência e distribuidoras de bebidas, açougues e peixarias, distribuidoras de gás de cozinha e água mineral, agências bancárias e loterias, hospitais, clínicas e serviços de assistência à saúde humana e de animais, assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade, farmácias e drogarias, comércio de alimentos e medicamentos destinados a animais, atividades de segurança pública e privada, estabelecimentos que comercializam peças automotivas, materiais elétricos e de construção, postos de combustíveis, prestadores de serviços de manutenção de elevadores, ares condicionados, redes elétricas e abastecimento de água, oficinas mecânicas, transporte, telecomunicação e internet, serviço de “call center”, feiras livres, captação, tratamento e distribuição de água, captação e tratamento de esgoto e de lixo, geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de gás, livrarias e papelarias, e lojas que vendem material de informática.

Com relação às feiras livres, estas podem funcionar desde que obedeçam as normas sanitárias que buscam diminuir a propagação do novo coronavírus, como o uso de máscaras pelos feirantes e pela população que vai a feira.

No último sábado, 9, a Força Tarefa fez uma grande ação na Feira de Troca, localizada na Feira Central da cidade. Lá foram distribuídas mais de 10 mil máscaras reutilizáveis e houve a conscientização de feirantes e consumidores. Neste sábado, 16, haverá uma nova ação a partir das 4 horas da manhã, desta vez além da Feira de Troca, os fiscais vão percorrer toda a Feira Central e verificar se tem estabelecimento aberto indevidamente, se os feirantes estão usando EPIs, e aproveitar para conscientizar os consumidores.

Além do Procon Municipal, fazem parte da Força Tarefa responsável por esse monitoramento a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Secretaria de Esporte Juventude e Lazer (Sejel), a Vigilância Sanitária do Município, a Secretaria de Saúde do Município, os Serviços Urbanos e Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos, com apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros da Paraíba.  

Nenhum comentário

.