Facebook

header ads

CRM: Ocupação de UTI seria de 46% se Estado instalasse leitos prometidos


O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) está cobrando do Governo do Estado a entrega de 520 leitos para o tratamento da Covid-19, sendo 143 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 377 leitos de enfermaria, que constam no Plano Estadual de Contingência Covid-19, mas ainda não estão disponíveis para a população. Dos 404 leitos de UTI prometidos, foram entregues 261, restando ainda 143 a serem instalados.

Atualmente, a taxa de ocupação dessas unidades, conforme dados da Plataforma Gestão de Leitos da Secretaria Estadual de Saúde (SES), atualizados neste domingo (24), é de 71%. Isso significa que dos 261 leitos disponíveis, 185 estão ocupados. No entanto, se já tivessem sido entregues os 404 leitos prometidos, a taxa de ocupação seria de 46%, restando mais da metade dos leitos ainda disponíveis.

A quantidade de leitos de enfermarias já instalados nos hospitais públicos paraibanos também ainda está abaixo do que foi previsto no Plano de Contingência. A previsão é de 909 leitos, mas estão ativos 532. Portanto, ainda faltam ser instalados 377 novos leitos de enfermaria no estado. Quanto à taxa de ocupação, atualmente, 52% destes leitos estão sendo usados, o que significa que 277 pessoas estão internadas nas enfermarias. Se o estado já contasse com os 909 leitos previstos, esta taxa de ocupação seria de 30%.

“O CRM-PB tem solicitado providências e informações claras dos gestores públicos desde o início da pandemia, já tendo realizado reuniões com o governador do Estado, secretários estadual e municipais de Saúde, além dos diretores dos hospitais. Estamos em isolamento social há mais de 60 dias, o que foi um tempo suficiente para que o poder público tomasse as providências necessárias. Mas estamos vendo um número crescente de casos e internações de UTI, chegando perto do colapso do sistema de saúde”, destacou o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais.

Ele acrescentou que o CRM-PB vem contribuindo durante a crise sanitária, conforme seu âmbito de atuação. “Estamos treinando médicos do Estado que estão na linha de frente contra a Covid-19, visitando unidades de saúde para verificar o fornecimento de EPIs e quantidade de leitos e respiradores, além de estarmos em diálogo constante com os gestores e Ministério Público”, acrescentou o presidente do CRM-PB.

Conforme dados da SES, a Paraíba possuía um total de 388 leitos de UTI antes do início da pandemia. O Plano de Contingência destinou 125 destes leitos para os pacientes de Covid-19 e implantou mais 136 leitos, totalizando 261 unidades de terapia intensiva exclusivas para pacientes acometidos pelo novo coronavírus. Mas falta ainda a implantação de 143 leitos para que se chegue aos 404 previstos no plano.

Fonte: Assessoria

Postar um comentário

0 Comentários