Facebook

header ads

Galego do Leite aponta excessos em demolição no Acácio Figueiredo


O vereador Galego do Leite (Podemos), líder da bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande, lamentou os desdobramentos de uma ação realizada pela Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente na manhã desta sexta-feira, quando excessos evidentes foram cometidos durante a demolição de boxes que teriam sido construídos de maneira irregular.

O vereador entende que, mesmo diante de uma eventual irregularidade das construções, e ainda que o ato da prefeitura contra tais edificações tenha respaldo administrativo e judicial, não pode se admitir o uso desmesurado da força, a violência e a agressão contra cidadãos que, de qualquer forma, não são criminosos, mas trabalhadores em busca do pão.

Pior ainda que tal arbitrariedade se dê em tempos de uma pandemia e a consequente crise por ela gerada, que afeta drasticamente a qualidade de vida sobretudo das pessoas mais pobres.

Ao tomar conhecimento do episódio logo após o ocorrido, o vereador Galego do Leite procurou intermediar imediatamente e com urgência um canal de diálogo, evitando qualquer politização ou partidarização do fato, por entender não ser o caminho mais adequado, principalmente para o atual instante, nem o meio mais eficiente de buscar uma resposta para a demanda dos trabalhadores que tiveram seus boxes destruídos arbitrariamente.

"Lamento profundamente o excesso ocorrido e apelo ao prefeito Romero Rodrigues para que não permita a repetição de tamanho absurdo. O ato, se realmente necessário, poderia ter sido executado com diálogo e sem recorrer ao uso da força e da truculência contra pessoas humildes", disse Galego. "Busquei desde o primeiro instante viabilizar o diálogo, esforço que persiste, e espero que pelo menos tudo isso termine com uma solução favorável para esses pais e mães de família", acrescentou o vereador.

Mais de sessenta famílias estão cadastradas para comercializar produtos no local. Desse total, cerca de 38 atuam de maneira ativa na feirinha, comercializando frutas, verduras, legumes e uma diversidade de produtos, sobretudo itens considerados essenciais.

Postar um comentário

0 Comentários