Igrejas suspendem missas e cultos em Campina. Só a de Malafaia foi contra


O mundo vive dias que mais se assemelham a filmes sobre os últimos tempos. Escolas, universidades e repartições públicas suspendendo atividades, países fechando as fronteiras, pessoas isoladas em casa por causa da doença, uma pandemia tomando conta de toda a programação da mídia.

Em algumas cidades, o comércio está sendo obrigado a fechar as portas, o que deve acontecer em Campina Grande nos próximos dias. E hoje, numa reunião com o prefeito Romero Rodrigues, a absoluta maioria dos líderes evangélicos e dos católicos no município concordou com a suspensão de cultos e missas.

O bispo de Campina Grande, dom Dulcênio Fontes de Matos, e pastores das maiores denominações evangélicas concordam com a adoção da medida por um prazo inicial de 15 dias. As igrejas buscarão meios de aconselhar os fieis e várias deverão realizar de alguma forma celebrações a portas fechadas, com presença restrita e transmissão através da internet.

IGREJA DE MALAFAIA

O que chamou a atenção durante a reunião foi a postura do representante da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, que tem como líder geral o controverso pastor Silas Malafaia, que, segundo testemunhas, mostrou-se radical e virulentamente contra a medida, provavelmente atendendo orientação de Malafaia, que já declarou que só fechará as portas de sua igreja por força da justiça.

Nenhum comentário

.