Facebook

header ads

Encerrada há 03 meses, CPI não tem relatório e presidente cobra colega


A CPI dos Combustíveis, que alcançou revelações importantes a respeito da política de preços exercida pelo setor em Campina Grande, teve seus trabalhos concluídos há três meses, mas, até agora, não há qualquer sinal de um item essencial, que é o relatório, documentação que, de acordo com a lei, deve ser encaminhada pelo legislativo ao Ministério Público.

A responsabilidade pela elaboração do texto é do vereador Pastor Luciano Breno, relator da comissão. Em janeiro, ao ser questionado pela reportagem da Campina FM, ele disse que “estava debruçado sobre as informações colhidas durante a CPI, com muito cuidado, muita responsabilidade e compromisso”.

Diante da insistência do repórter Mateus Araújo quanto a um prazo, o relator estabeleceu uma previsão que, agora, já se encontra superada. “Eu acredito que assim que nós retomarmos os trabalhos na Câmara Municipal de Campina Grande, iremos apresentar esse relatório”.

O detalhe é que a entrevista foi ao ar em janeiro, quando o legislativo ainda estava em recesso, que se encerrou no dia 03 de fevereiro, portanto, há cerca de quarenta dias – sem sinal do relatório.

COBRANÇA PÚBLICA

Nesta quinta-feira, ao fazer uma “live” nas redes sociais para comentar a sequência de quedas nos preços dos combustíveis no repasse da Petrobras para as refinarias, o vereador Alexandre Pereira cobrou publicamente o colega Luciano Breno quanto ao relatório.

“A CPI fez o seu papel. Eu tive a coragem de enfrentar. Nós precisamos agora cobrar o relatório. Quero fazer um apelo ao meu colega Luciano Breno, relator, publicamente, para que possamos levar esse documento às autoridades competentes. Campina Grande não pode continuar vítima desse grupo que domina o mercado”, disse Alexandre.

Postar um comentário

0 Comentários