Cássio já calou, falou e escreveu sobre não ser candidato. Só falta desenhar

A tese de candidatura do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) a prefeito de Campina Grande, conforme já ponderado pelo blog várias vezes, é legítima, porém completamente descabida. E o próprio tucano já demonstrou isso de diversas maneiras, todas muito claras.

Primeiro, a decisão de ficar longe da Paraíba. Perdida a reeleição para o Senado, Cássio manteve-se vivendo em Brasília e lá fixou domicílio profissional. Depois de três décadas e meia vivendo de cargos públicos, o político precisou – conforme admitiu a amigos – pela primeira vez se sustentar com as próprias pernas. E parece estar se saindo muito bem.

Depois, nas vezes em que foi instado a falar sobre 2020, posicionou-se claramente mostrando que não estava nos seus planos voltar para Campina Grande a fim de tentar a prefeitura. Recentemente, o próprio filho, deputado Pedro, reafirmou com todas as letras as declarações de Cássio.

Mas, ainda assim, cassistas seguem num esforço que já deixa de ser normal para virar constrangedor, tentando impor uma pressão que se mostre irresistível sobre o líder tucano. Em resposta, Cunha Lima escreve para amigos, que “vazam” o teor da correspondência - um incontestável "não"!

Na missiva, o ex-governador lista as razões de ordem pessoal que desestimulam qualquer plano de candidatura. Uma declaração objetiva, lógica, fácil de compreender e, ao que tudo indica, definitiva.

Tanto que, se continuarem insistindo, talvez seja preciso que Cássio Cunha Lima desenhe que não será candidato e ponto final.

Nenhum comentário

.