Facebook

header ads

Calvário: Radialista é preso acusado de extorquir investigados pela operação

 
O radialista Fabiano Gomes foi preso na manhã desta terça-feira, 10, pela Polícia Federal, no âmbito da 8ª fase da Operação Calvário. Além do mandado de prisão, também foram expedidos nove mandados de busca e apreensão em residências de investigados e no Tribunal de Contas do Estado. Outro alvo foi a sede da Loteria do Estado da Paraíba (Lotep).

De acordo com informações divulgadas pela PF, Fabiano atuava se valendo “de seus canais de imprensa para constranger investigados ou potenciais investigados a lhe pagarem vantagem indevida, sob pena de revelar conteúdo sigiloso”. Ainda conforme a polícia, ele agia “ofendendo, por via reflexa, a honra objetiva de autoridades responsáveis pela apuração, referidas indevidamente como fontes do acesso privilegiado”.

Fabiano Gomes já havia sido preso em 2018, mas por envolvimento em outro esquema, investigado na Operação Xeque-Mate, que apura a compra do mandato do ex-prefeito de Cabedelo Luceninha e uma rede de corrupção envolvendo vereadores do município. O radialista ficou preso no PB1 durante 36 dias.

ENTENDA

A Polícia Federal na Paraíba e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público na Paraíba – GAECO/PB, com apoio da Controladoria Geral da União – CGU, deflagraram, na manhã desta terça-feira, 10/03/2019, a 8º Fase da Operação Calvário, com objetivo de investigar indícios de lavagem de dinheiro de recursos desviados de organizações sociais da área da saúde, por meio de jogos de apostas autorizados pela Loteria do Estado da Paraíba.

As investigações demonstram que parte dos recursos foi desviada com a participação de auditor do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, que teria recebido vantagem indevida para embaraçar ou obstar a fiscalização nas organizações sociais.

Postar um comentário

0 Comentários