Facebook

header ads

Sindicato cobra instalação de escola no Aluízio Campos e critica Azevedo

 
Durante entrevista à Campina FM nesta quinta-feira, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba (Sintep), através do seu coordenador, Antônio Arruda, cobrou ao Governo do Estado a instalação de uma escola de ensino médio no conjunto Aluízio Campos em Campina Grande.

Inaugurado há um mês, o bairro nasce com proporções de cidade, inclusive superando em população cerca de 170 municípios da Paraíba, porém não conta com escola da rede estadual para atender alunos do ensino médio e até agora não foi divulgado qualquer plano da Terceira Região de Ensino para contemplar as centenas de estudantes que passaram a morar na comunidade.

“O Município colocou duas escolas, mas estas atendem aos alunos até o Fundamental 1, só que o Estado precisa abrir uma escola para atender às demais faixas. Isso é obrigação do Estado”, comentou o sindicalista, que ressaltou a dimensão dos transtornos para as famílias que, sem esse equipamento, terão que encaminhar os adolescentes para escolas de outros bairros.

SEM DIÁLOGO

“O Estado já não está dando conta das escolas que existem e está fechando escolas e, com determinada imposição de projeto, vem perdendo alunos para a rede privada”, disse Antônio Arruda. Outra reclamação do sindicalista é sobre a impossibilidade da categoria conseguir dialogar com o governador. De acordo com ele, desde que assumiu o Palácio da Redenção, João Azevedo não recebeu os professores.

“João Azevedo vai entrar para a história como o primeiro governador a passar o ano sem receber o sindicato. Até hoje ele não teve a hombridade de sentar com a gente para discutir os graves problemas da educação, que não são poucos. O governador não nos recebe e parece estar passando ordem para o secretário de Educação também não nos receber”, acusou.

Postar um comentário

0 Comentários