Para evitar polarização Tovar-Bruno, Romero multiplica menções a nomes


Foi perceptível que o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, presidente estadual do PSD, adotou uma estratégia de fazer inúmeras menções a nomes que, segundo ele, estariam qualificados para encabeçar uma chapa majoritária nas eleições municipais do ano que vem.

Apenas da semana passada para cá, por exemplo, Romero adicionou à lista na qual já constavam nomes como Tovar Correia Lima, Bruno Cunha Lima, Manoel Ludgério, Nelson Gomes Filho e André Agra, os de Félix Araújo Neto (superintendente da STTP), Lucas Ribeiro (secretário de Ciência e Tecnologia) e Marcos Procópio (presidente da Associação Comercial).

Félix Neto e Marcos Procópio, por sinal, descartaram qualquer possibilidade de candidatura.

Muita gente não entendeu a postura de Romero e houve até quem enxergasse na crescente lista do presidente do PSD um sinal de dúvida do prefeito em relação a quem apoiar no ano que vem. Ledo engano.

Romero apenas evita, ao mencionar um rosário de nomes, ter que tratar publicamente e especificamente a respeito da polarização existente em seu grupo entre o deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), que atualmente responde pela Secretaria de Planejamento e Gestão, e o ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima (sem partido), chefe de gabinete da PMCG.

Nítida e obviamente, Tovar tem maior vinculação pessoal e política com Romero, mas Bruno, por causa sobretudo do sobrenome, é uma divergência tratada com cuidado. Algo que o atual prefeito, se quiser fazer o sucessor, vai ter que encarar e enfrentar diretamente. Mas, como mostra sua estratégia, isso não se dará agora.

Nenhum comentário

.