Barrado no círculo presidencial, Julian "justifica" ausência em evento


O deputado federal Julian Lemos, presidente estadual do PSL e principal aliado do então candidato Jair Bolsonaro até 2018 na Paraíba, é persona non grata no grupo do chefe da nação desde que o inquieto Carlos Bolsonaro o desancou nas redes sociais, logo no início do mandato, sem detalhar as razões que fizeram o novato parlamentar ser barrado no círculo presidencial.

Por razões igualmente desconhecidas, Julian faz de tudo para minimizar os fatos e tentar passar a imagem de que continua um soldado bastante próximo do “capitão”, apesar da realidade óbvia mostrar-se bem outra. Como o blog já havia mostrado, o deputado tentou capitalizar sobre uma eventual não vinda de Bolsonaro a Campina Grande, afirmando à imprensa que isso ocorreria em atendimento a conselho seu.

Ridicularizado pela desmontagem da história, ante a confirmação posterior do presidente de que viria à cidade inaugurar o Aluízio Campos, Lemos se viu diante de um imenso constrangimento: como justificar sua ausência no evento, já que, pelo óbvio, não é admitido no entorno do presidente?

Julian saiu-se com a mesma estratégia de sempre: atacar alguém para desviar o foco das questões que não tem como explicar. No caso, emitiu uma curiosa nota, que pode ser lida em suas redes sociais e que, sem entrar no mérito do conteúdo, é mais um exemplo de que o deputado federal do PSL minimiza a capacidade dos paraibanos de interpretar os fatos e os discursos.

Nenhum comentário

.