CNH não é direito do cidadão, diz presidente do Sindicato das Autoescolas


Irritado com o fim da obrigatoriedade do simulador de direção para retirada da Carteira Nacional de Habilitação, medida que passou a valer desde a última segunda-feira, o presidente do Sindicato das Autoescolas da Paraíba, Claudionor Fernandes, deu uma declaração controversa durante entrevista ao repórter Victor Silva, da Campina FM.

Questionado pelo repórter sobre o impacto da mudança no preço das carteiras, Claudionor afirmou que o acesso à habilitação não é um direito de todo cidadão, o que pode, numa leitura não muito extensiva, ser interpretado como uma assertiva no sentido de que tira o documento quem pode pagar por ele.

“Habilitação não é um direito do cidadão, é uma conquista, é uma licença para dirigir. Mas não é obrigado a todo mundo ter habilitação. A Constituição não diz nada sobre isso. É uma conquista do cidadão”, afirmou, textualmente, o sindicalista.

Ainda durante a entrevista, Claudionor assegurou que há cinco anos não há aumento no preço da carteira de habilitação na Paraíba. O presidente do Sindicato das Autoescolas criticou a desobrigação do uso do simulador, porque acredita que o recurso contribui efetivamente para a formação dos motoristas. Para ele, a mudança agrava os problemas gerador no trânsito do país.

A expectativa do segmento é que a decisão do Governo Federal de barrar a exigência dos simuladores acabe sendo derrubada pela justiça.

Nenhum comentário

.