Procon encerra atividades do São João somando mais de 150 atendimentos


O Maior São João do Mundo de 2019 chegou ao fim e o Procon de Campina Grande avalia como muito positiva a atuação do órgão. Nos 31 dias de festa foram mais de 30 atendimentos no ônibus do Parque do Povo e cerca de 130 ocorrências no Sítio São João, em Galante e no Trem do Forró. Além da distribuição de 10 mil panfletos e 3 mil exemplares do Código de Defesa do Consumidor (CDC).  

Para Rivaldo Rodrigues, coordenador executivo do Procon Municipal, foi uma edição bem diferente dos outros anos, com consumidores mais antenados aos seus direitos e com fornecedores com mais conhecimento das leis consumeristas.

“Mesmo que tenhamos aumentado nossa presença na festa, este ano além de termos colocado o ônibus no Parque do Povo, estivemos com ações pontuais em Galante e com uma barraca no Sítio São João. As ocorrências foram menores do que esperávamos, com pouquíssimas autuações. Para nós é um reflexo de todo um trabalho educativo que estamos fazendo junto a fornecedores desde 2017. Assim como o de divulgação do Código de Defesa do Consumidor junto a população que se mostra cada vez mais consciente e atuante. Esse foi o São João do Consumidor Consciente”, destaca Rivaldo.

Em 2018 em todo o São João foram 17 ocorrências, entre notificações por falta de clareza na cobrança de preço por produtos, venda de produtos fora do prazo de validade e a entrada de bebidas no Parque do Povo. Na oportunidade apenas o Parque do Povo tinha uma equipe fixa do Procon, nas outras áreas da festa eram enviados fiscais nos períodos de maior concentração de pessoas.

Já na edição deste ano o Procon levou o ônibus móvel para dentro do Parque do Povo, que nos 31 dias de festa contabilizou 30 atendimentos. Destes apenas 9 se relacionavam a festa em si, foram reclamações com relação ao bloqueio da entrada de bebidas no Parque do Povo (4), o valor cobrado pelos estacionamentos no perímetro da festa (2) o que gerou autuação, dúvida com relação a cobrança dos 10% nas barracas (2) e também houve denúncia sobre o preço cobrado pelo camarote arretado (1). O restante das ocorrências se deu sobre temas indiferentes ao São João, como o pagamento de contas (5), cartão de crédito (7), telefonia/internet (3), cagepa (2), energisa (2), mensalidade escolar (1) e entrega de diploma (1).

Fonte: Assessoria

Nenhum comentário

.