Apostando em aglutinação, Damião Feliciano pode disputar PMCG. Entenda


O secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico da Paraíba, Gustavo Feliciano, presidente municipal do PDT, afirmou nesta quarta-feira que a legenda deverá ter candidato a prefeito de Campina Grande nas eleições do ano que vem. E o nome indicado é o do deputado federal Damião Feliciano, pai do dirigente partidário. As declarações foram durante entrevista aos jornalistas Max Silva e Ernandes Gouveia, na Panorâmica FM.

“O PDT tem, sim, a intenção de lançar um candidato a prefeito, tendo em vista que, no campo das oposições, o partido tem a vice-governadora do Estado, o segundo cargo mais importante na hierarquia da Paraíba”, ressaltou, referindo-se à mãe, Lígia Feliciano. Sobre Damião, Renato destacou que o deputado “pode ser candidato a prefeito porque tem desempenhado um papel fundamental na Câmara dos Deputados”.

O presidente do PDT lembrou que existe “um leque de lideranças” no campo das oposições que “precisam ser ouvidas”, listando alguns nomes e defendendo que o bloco se reúna para debater 2020, afirmando haver um elo que a todos une no agrupamento: o Governo do Estado.

Mas, defendeu que o nome com maior capacidade de aglutinação seria o de Damião Feliciano. Para tanto, Gustavo lembrou que, em caso de sucesso do deputado, sua renúncia para assumir a PMCG implicaria na ascensão da primeira suplente, Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos), mulher do senador Veneziano Vital (PSB) à Câmara Federal.

Ele lembrou que o processo de definição de um candidato representa um verdadeiro xadrez, no qual todas as peças e possíveis movimentos devem ser considerados. Gustavo Feliciano, no entanto, afirmou que o momento adequado para as discussões avançarem seria 2020. “Porque este ano deve ser de foco na administração”, disse. 

Nenhum comentário

.