Jornalismo

Profissional atuando desde 2008 no mercado, com passagem por todos os meios. Experiência, credibilidade e qualidade

Comunicação institucional

Profundo conhecimento da dinâmica e caminhos da comunicação institucional eficiente, quer no setor público, quer na esfera privada

Direito

Advogado com atuação na área cível em geral e foco em direito do consumidor, além de assessoria legislativa para supervisão e elaboração de projetos

Cursos online

Didática diferenciada, metodologia direta, clara e objetiva buscando a máxima eficiência do estudo

Blog

Análise: Voz e cara do seu governo, Romero deve falar, enfrentar a crise


A comunicação é uma ferramenta-chave do gerenciamento de crise. E até agora, em quase sete anos de governo, o prefeito Romero Rodrigues não havia enfrentado o desafio de uma crise grave. Isso mudou a partir da deflagração da “Operação Famintos” na última quarta-feira.

Desde então, passado o período inicial do choque, o governo precisou definir sua linha de atuação e reação. O que fazer? O que dizer? Quando exatamente dizer? Como dizer? Por qual meio dizer?

Não é uma crise daquelas que se aplaque com uma agenda positiva. Não é daquelas que um fato novo possa amenizar. Há denúncias graves; há servidores presos e afastados dos cargos e funções; há dois secretários do alto escalão que tiveram de deixar o governo; uma auxiliar das mais respeitadas cumpre prisão.

Sob a turbulência, no terremoto da crise, as medidas adotadas têm sido trazidas a público por meio de notas e releases. Mas, passado o momento imediato, a primeira manifestação, que em regra pede de fato a formalidade e frieza de uma nota oficial, a hora é de Romero Rodrigues, prefeito eleito e reeleito, vir a público, se fazendo ver e ouvir.

As medidas adotadas, desde a suspensão dos contratos à substituição provisória dos ex-secretários, assim como a criação de uma Controladoria Geral do Município, são iniciativas que deveriam ser anunciadas pelo prefeito em pessoa, idealmente em uma coletiva de imprensa.

Este, aliás, é um “enfrentamento” inevitável. Romero terá que falar à imprensa e, mais que isso, receber a saraivada de questionamentos naturais, inevitáveis e necessários que fogem dos releases pré-elaborados e exaustivamente analisados.

Numa coletiva, de frente a um “pelotão” de repórteres e seus microfones e câmeras. Sem ensaios, sem controle da abordagem.

Porque antes disso não poderá seguir seu governo com uma mínima normalidade cotidiana, não conseguirá cumprir agenda alguma, por mais positiva (como o sorteio da ocupação das casas do Aluízio Campos), já que, enquanto não falar publicamente sobre os fatos destes últimos dias nenhum outro será notícia.

Não é a imprensa que precisa dessa coletiva, é o prefeito e sua gestão. Não são jornalistas que esperam por essa fala, é o povo de Campina Grande.

Authorism Theme

Jornalismo

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Comunicação

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Direito

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.!

Cursos

4th one time fitness expert, wellness writer, personal trainer, group ex health coach. I am advocates of everything good in the fitness industry and of the people who make it great!

Imagens de tema por richcano. Tecnologia do Blogger.