Empresário pode estar na mira do PSL para ser candidato a prefeito de CG


O deputado federal Julian Lemos, que preside com mão de ferro o conturbado PSL paraibano, anunciou há algumas semanas, durante entrevista ao Jornal do Meio-Dia, da Campina FM, que pretende lançar candidatura própria a prefeito de Campina Grande nas eleições do ano que vem.

Ele, evidentemente, não adiantou nada a respeito de eventuais nomes, mas, bem ao seu estilo, garantiu que havia chegado à decisão naquele mesmo dia e que resolvido estava. Ponto.

Só que, para ter candidatura própria, é preciso ter um candidato. E, para não fazer o partido do presidente da República passar vexame na cidade que deu vitória nas urnas a Bolsonaro, é preciso que esse candidato tenha musculatura, alguma viabilidade e qualidades mínimas para o debate. Reticências aqui...

No caso do PSL, porém, há um requisito a mais (dois pontos): coragem para enfrentar a realidade interna do partido e paciência para lidar com o efetivo radicalismo de Julian.

Na mira da legenda, estaria o empresário Artur Bolinha, que já disputou duas eleições para prefeito e, em 2016, ficou na terceira posição, superando, inclusive, o deputado estadual Adriano Galdino (PSB), este candidato do então governador Ricardo Coutinho e com uma estrutura incomparavelmente superior à do dirigente empresarial.

Bolinha reúne qualidades que fazem seu nome ser atraente para o PSL. E, inclusive, parece ter abraçado a candidatura de Bolsonaro na cidade em 2018. O nó górdio é se o empresário conseguirá ter no PSL um ambiente favorável para concorrer. Aqui, interrogação. E das bem grandes!

Nenhum comentário

.