Preso, Cabaré assume vaga de Boka Loca na Câmara do Conde. Não, essa não é uma manchete sensacionalista


Como dito, não se trata de uma manchete sensacionalista, é apenas mais um dia em uma casa legislativa do Brasil. Acompanhem a história, que vai de mal a pior e não termina com Cabaré.

Acusado de usar uma mulher como laranja para desvio de salários, caso que está sob investigação, o agora ex-vereador Fernando Antônio Neves de Araújo, conhecido como Fernando Boka Loka, renunciou ao mandato na Câmara de Vereadores do Conde.

Com isso, a cadeira no parlamento condense caiu no colo de Flávio Melo de Souza, popularmente chamado de Flávio Cabaré.

Mas, o Cabaré está fechado, ou melhor, preso, especificamente no 5º Batalhão de Polícia Militar, acusado que é de crimes como favorecimento à prostituição, associação criminosa, rufianismo e manutenção de casa de prostituição –  esta, por sinal, cujo sinônimo serve de epíteto ao agora vereador.

Sim, vereador de fato e de direito, posto que tomou posse, por meio de procuração. Mas, impedido por motivo de força maior já citado de comparecer às sessões, já apresentou, por meio do procurador, pedido de licença. Licença sem vencimentos, sob a alegação de “tratar de assuntos pessoais”.

Um detalhe: outros dois vereadores do Conde estão em prisão domiciliar, tendo sido convocados seus suplentes.

O pedido do parlamentar Flávio Melo deverá ser apreciado pelos seus pares na próxima sessão ordinária, na segunda-feira. Caso o requerimento seja acatado, assume o segundo suplente, Luiz de Bihino. Porém, Cabaré espera a liberdade da prisão para assumir de vez seu lugar.
 

Nenhum comentário

.