E agora? Procon não vê irregularidades em aumento da gasolina no último sábado em Campina Grande


O Procon Municipal de Campina Grande divulgou o resultado de um levantamento realizado na último segunda-feira sobre os preços dos combustíveis nos 58 postos da cidade. Segundo o órgão, o preço médio do litro de gasolina comum passou de R$ 4,391 (verificado em 15 de maio), para R$ 4,581 nesta última pesquisa, ou seja, em doze dias sofreu um aumento de 4,32%.

Coincidência ou não, o índice é praticamente o mesmo daquele repassado pela Petrobrás às refinarias (4,4%), com uma diferença importante: neste caso, o percentual foi de redução, enquanto os postos de Campina Grande, no mesmo dia, aumentaram o preço para os consumidores.

O que chama a atenção na nota do Procon é a informação de que a medida, ou seja, o aumento no mesmo dia em que a Petrobrás baixou os preços, não possui qualquer irregularidade. “Na visita aos postos não foi encontrado nada fora do padrão. O coordenador executivo do Procon Municipal, Rivaldo Rodrigues, recebeu o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis, Bruno Agra”, diz trecho de release enviado pela assessoria do Procon.

A nota ainda traz uma fala de Rivaldo. “Ao ser questionado sobre o reajuste, Bruno Agra explicou que eles têm como justificar o recente aumento, analisando a evolução de preços no município. Ele se comprometeu em entregar uma documentação ao Procon com esse estudo e divulgar o mesmo na imprensa para que a população entenda que, apesar do recente aumento, a política de preços dos combustíveis na cidade passou por uma desaceleração”, disse o coordenador.

O impasse em torno dos preços dos combustíveis em Campina Grande levou a Câmara Municipal a instalar uma CPI.

Nenhum comentário

.