Vereador critica homenagem a coronel da PM: “Não tem relevantes serviços prestados à cidade”


O vereador Sargento Neto (PRTB) afirmou, durante entrevista ao Jornal Integração da rádio Campina FM nesta quarta-feira, 12, que ficou surpreso com a aprovação pelos seus pares de um título de Cidadania Campinense ao comandante do Policiamento Regional 1 (CPR1), coronel Almeida Martins, homenagem entregue durante solenidade nesta segunda-feira, 11. No dia da aprovação da matéria, o edil se encontrava fora da CMCG, em um compromisso do mandato.

Neto lembrou que foi após a chegada de Almeida Martins que a Polícia Militar suspendeu o repasse de informações públicas à imprensa, medida que o parlamentar considera um ato de censura. Além disso, o vereador atribui ao comandante do CPR1 a extrema limitação na cota diária de combustíveis para as viaturas policiais.

“Quando você proíbe a divulgação de informações reais, tolhendo o direito de todos os cidadãos campinenses a essas informações; quando você permite que uma viatura seja abastecida com apenas R$ 100 de combustível, de modo que os policiais não podem realizar um serviço preventivo e ostensivo com a cota possível com esse valor, quem perde é toda a sociedade”, disse o vereador.

No entendimento do parlamentar do PRTB, esse cenário não permitiria que Almeida Martins fosse enquadrado nos requisitos necessários para a homenagem. “A concessão do título de cidadania pressupõe conduta ilibada e relevantes serviços prestados. Quando observamos esse segundo critério, o de relevantes serviços, entendo que o comandante não faz jus à homenagem”, declarou.

CELERIDADE

Sargento Neto ainda demonstrou surpresa com a forma extremamente célere de tramitação do projeto de lei que concedeu a honraria ao coronel. O projeto teria sido apresentado, tramitou, foi votado, aprovado e sancionado em menos de quatorze dias. O vereador confirmou que pretende apurar se a tramitação obedeceu a todas as normas legais.

Nenhum comentário

.