Para CDL, resultado não foi o esperado, mas, ao contrário de outras cidades, Campina teve junho estável


A Campina FM ouviu diversos segmentos produtivos para uma avaliação do desempenho econômico da edição 2017 do Maior São João do Mundo. O presidente da CDL Campina Grande, Artur Bolinha, afirmou que a expectativa de alta para este ano se desfez por conta de uma retração forte nas vendas registrada na segunda metade do mês, mas, no geral, o balanço ainda foi positivo, sobretudo quando considerada a realidade nacional.

“Em relação às vendas, iniciamos o mês com uma expectativa de crescimento entre 4% e 5%, em comparação com o ano passado. Terminamos a primeira quinzena dentro desta média, mas, de forma inesperada, houve uma queda na segunda quinzena, de modo que as vendas em junho terminaram praticamente repetindo o que foi registrado em 2016. Não houve crescimento, mas também não houve queda”, explicou.

Neste cenário, Bolinha revelou que, comparativamente a outras cidades, o saldo em Campina Grande foi positivo. “Na grande maioria das cidades do Brasil, registrou-se queda nas vendas. Então, Campina Grande, de certa forma, termina tendo um saldo positivo. Não é o que a gente queria, mas pelo menos não houve retração, o que seria muito pior no momento em que a economia da cidade e do país está vivendo”, completou.

Bolinha admitiu que ainda não é possível explicar a queda registrada na segunda quinzena de junho. Ele disse que isso será avaliado, a fim de que o segmento possa atuar para tentar sanar os fatores que levaram à baixa. Segundo o dirigente, a queda aconteceu justamente na semana do São João, que costuma ter boas vendas.

Nenhum comentário

.