Não há risco de Alpargatas deixar Campina Grande, garante secretário. Empresa gera 6 mil empregos na cidade


O secretário de Desenvolvimento Econômico do Município, Luiz Alberto Leite, afirmou à reportagem da Campina FM que não há risco algum de a Alpargatas ser retirada de Campina Grande. A preocupação surgiu depois de a empresa, que gera cerca de seis mil empregos só na cidade, ser vendida pela J&F.

“Nem pensar nisso. É uma empresa que criou raízes na cidade, que a cidade inventou e a Alpargatas comprou o invento de Campina Grande. Não há nenhuma possibilidade (de mudança). Um investimento daquele não muda de lugar, porque está plantado na cidade e é uma empresa de sucesso, que vende para 150 países, fatura 220 milhões de pares de sandálias por ano – o equivalente a uma para cada brasileiro – e nem passaria pela cabeça do investidor qualquer mudança”, assegurou.

Para Luiz Alberto, a venda, na verdade, fortalece a Alpargatas, o que assegura a viabilidade da empresa e sua permanência como importante fonte de emprego e renda em Campina, onde é a maior empregadora privada. “Muda de mãos, e muda para um grupo empresarial mais atuante e mais forte, o que dá uma tranquilidade a Campina Grande e ao mercado de que a Alpargatas vai continuar muito mais positiva e muito mais proativa. Eu, sinceramente, fico muito feliz em ver esse bastão trocando de mãos, para uma mão melhor e mais segura”, disse.

A J&F, holding controladora da JBS, que está no centro do rumoroso caso das denúncias do seu proprietário, Joesley Batista, contra figurões da política nacional, a exemplo do presidente Michel Temer e do senador Aécio Neves, vendeu a Alpargatas por R$ 3,5 bilhões a um consórcio formado pela Itaúsa (Investimentos Itaú S.A), Cambuhy Investimentos e a Brasil Warrant Administração de Bens Empresa S.A (BW).

Com sede em São Paulo, a Alpargatas tem instalações em Montes Claros (MG), Carpina (PE) e Mogi Mirim (SP), além das paraibanas Campina Grande, João Pessoa e Santa Rita. A empresa ainda tem escritórios na Argentina, Estados Unidos e Europa.

Nenhum comentário

.