Motoristas não aderem, mas sindicalistas prometem parar ônibus em Campina Grande na sexta-feira


O presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de Campina Grande, Antonino Macedo, afirmou à Campina FM que a categoria resolveu não parar na próxima sexta-feira, 30, apesar de apoiar a greve geral convocada por sindicatos e entidades de esquerda contra as reformas propostas pelo governo Michel Temer.

De acordo com Antonino, o segmento está em plena discussão relativa à data-base e, por isso, ele julga não ser oportuno cruzar os braços. O sindicalista ainda afirmou que está fora do estado, cumprindo agenda da sua entidade, mas garantiu o apoio moral ao movimento. Por esta decisão, ele se tornou alvo de críticas da cúpula da greve geral.

Inconformados com a decisão, os líderes do movimento em Campina Grande prometeram que, mesmo sem a adesão dos motoristas, os ônibus serão parados à força na sexta-feira. Não oficialmente, alguns admitem que piquetes devem ser formados em frente aos portões das garagens das principais empresas de transporte coletivo para impedir a saída dos veículos.

Sitrans e STTP ainda não se pronunciaram sobre o assunto. Já o presidente da CDL, Artur Bolinha, afirmou esperar que a Polícia Militar garanta o direito dos trabalhadores que optarem por não participar da mobilização.

Nenhum comentário

.