Vereador afirma que medida de Romero teria comprometido serviços essenciais do Município


O vereador Galego do Leite (PTN), que deve assumir a liderança da bancada de oposição este ano na Câmara Municipal de Campina Grande, fez críticas à decisão do prefeito Romero Rodrigues de cortar em massa os prestadores de serviço da cidade, que, segundo o parlamentar, eram cerca de 3.500. Segundo Galego, a medida teria causado uma paralisação de vários serviços essenciais do Município.

“Estamos acompanhando vários serviços sendo prejudicados por conta do corte desses funcionários. Um governo de continuidade, que se diz inovação, a gente só tem a lamentar”, declarou. “Tenho recebido queixas de problemas nos serviços na área de saúde, Secretaria de Agricultura, o Cadastro Único, os conselhos tutelares, com a população não sendo atendida por falta de motoristas e de pessoal de apoio”, disse.

O oposicionista ainda acusou a PMCG de só adotar providências em relação aos setores paralisados quando o problema é denunciado pela imprensa. “A partir do momento em que os veículos de comunicação fazem uma denúncia, aí alguém do governo vai lá e coloca para funcionar, nem que seja algo de forma temporária, como se estivessem empurrando com a barriga, esperando que alguém denuncie ou questione a falta dos serviços, que são essenciais e não deveriam parar de forma nenhuma”.

O vereador também declarou que “tem acompanhado com perplexidade” a decisão de Romero de não renovar os contratos dos prestadores. “Não gostaria de ver, em pleno final de ano como foi, tantos pais de família serem demitidos por uma gestão que é uma continuidade, quando pregavam que fariam uma gestão melhor. Fiquei sem acreditar que o prefeito pudesse fazer, como fez, essas demissões em massa em plena véspera de ano”, comentou.

Nenhum comentário

.