Prefeito de Montadas defende contratações de parentes: “São competentes e de confiança”


O prefeito da pequena Montadas, Jonas de Souza (PSD), virou notícia nacionalmente após repetir uma prática comum nos pequenos municípios: a nomeação de parentes para cargos de primeiro escalão. O que fez o ato do gestor ganhar destaque foi, digamos, a escala: Jonas nomeou nada menos que sete parentes para o secretariado.

Para a Secretaria de Finanças ele escolheu a esposa, Kátia Ramalho; para a Saúde, um irmão, Erasmo de Souza; para a Secretaria de Educação, Neuracir de Souza, uma irmã; outro irmão, Ranunfo Leandro de Souza, ficou com a Secretaria de Infraestrutura; a Secretaria de Administração foi entregue a um primo, Lindembergue de Souza Silva (ex-prefeito da cidade por dois mandatos); a Procuradoria Geral do Município, a outro primo, Enéas Veríssimo; e a Chefia de Gabinete terá José de Arimatéia Souza, tio do prefeito e também ex-prefeito (por três mandatos).

A grande repercussão, contudo, não incomodou Jonas, que, em entrevista ao repórter Silas Batista, da Campina FM, defendeu a medida. “Nomeei, sim, minha família. Mas, nomeei pessoas competentes, pessoas que realmente vão me ajudar a administrar, porque pessoas para me atrapalhar, não quero ninguém. Nomeei, assumo. Agora, podem procurar saber se realmente essas pessoas têm capacidade de assumir um cargo”, disse.

Jonas ainda fez críticas ao seu antecessor no cargo, Jairo Herculano, que, segundo o novo prefeito, também nomeou parentes. “Na gestão anterior, todos os secretários daqui eram de Pocinhos, tirando a chefe de gabinete, que era a esposa e a filha dele, que era gestora do Bolsa Família. Dois primos dele, que eram de Pocinhos, também eram secretários, um de Finanças e o outro de Administração”.

Nenhum comentário

.