História: Menina de Campina Grande pediu e Pelé doou colete para tratamento da coluna


Maria Abigail da Costa, moradora do bairro do Castelo Branco, em Campina Grande, tinha 14 anos em 1971 e sofria de um quadro agudo de escoliose, que comprometeu seu desenvolvimento físico e a impedia de aproveitar normalmente a infância. A adolescente de aparência de menina havia sido abandonada pelos pais quando tinha um ano, e a família que a criava era pobre, sem condições de custear um equipamento conhecido como “colete de Milwaukee”.

Segundos os médicos que atenderam Abigail, o colete impediria que o agravamento da escoliose deixasse a menina inválida e ainda poderia minimizar expressivamente o problema, dando a ela uma vida praticamente normal. O porém, diante da condição da família, era o preço – um colete desse tipo custa hoje algo entre R$ 1.300 e R$ 1.800, segundo pesquisa rápida na internet.

Orientada pela mãe de criação e amigos da família, Abigail escreveu para programas de televisão pedindo ajuda, mas não foi atendida. Até que mandou uma carta para o “Rei do futebol”, Pelé, que havia se tornado garoto propaganda do Banco Industrial de Campina Grande.

Para surpresa geral, apenas quatorze dias após o envio da carta, chegou a resposta: o jogador autorizou o gerente do banco a custear a compra do colete. A alegria foi ainda maior porque a resposta do “Rei” chegou no dia 07 de outubro, aniversário de Abigail. A história foi registrada pelo Jornal da Paraíba nas edições dos dias 09 e 20 (fac simile abaixo) de outubro daquele ano.


Nenhum comentário

.