Transposição só chega a Boqueirão entre junho e julho, mas açude “seca” em janeiro. E agora?


A Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande recebeu resposta do Ministério da Integração Nacional ao pedido de providências em relação à crise hídrica que assola a Paraíba e, especificamente, a Rainha da Borborema. E a resposta confirma as expectativas mais temidas: a água do São Francisco só deve chegar em abril ao estado.

“Recebemos uma nota técnica do Ministério da Integração explicando que a transposição só chega em meados de abril no Açude de Poções, em Monteiro. E para essa água chegar em Boqueirão, ainda requer um tempo, além de existir a problemática de que as cidades que estão ali, abaixo de Monteiro, não possuem saneamento básico e o esgoto é jogado no Rio Paraíba”, explicou Álvaro Barros em entrevista à Campina FM.

Diante desse cenário, o dirigente explicou que a água da transposição ainda precisaria de um período entre sessenta e noventa dias para chegar a Boqueirão, ou seja, entre junho e julho de 2017. O detalhe, contudo, é que, de acordo com a Cagepa, mantidas as atuais condições e caso não ocorram chuvas expressivas, o manancial só poderá abastecer Campina Grande e cidades circunvizinhas até janeiro.

Fica no ar, portanto, a pergunta: como a cidade seria (ou será) abastecida entre janeiro e junho?

Nenhum comentário

.