“Quem é o homem? O Homem é Pedro” - Há onze anos morria o ex-governador Pedro Moreno Gondim

Pedro Gondim - Foto: http://governospb.blogspot.com.br

Num dia como hoje, 26 de julho, no ano de 2005, portanto há onze anos, morria Pedro Moreno Gondim. Jurista, deputado estadual, deputado federal, governador, o filho de Alagoa Nova foi um dos mais importantes líderes políticos da Paraíba durante quase duas décadas.

Em 1955, Gondim foi eleito vice-governador na chapa do médico Flávio Ribeiro Coutinho, que foi um candidato de consenso resultante de uma proposta apresentada por José Américo de Almeida. A decisão de uma eleição praticamente sem disputa se deu por conta dos excessos de 1950, quando a refrega José Américo versus Argemiro de Figueiredo foi violenta e rendeu até mortes em Campina Grande.

Durante o mandato, Flávio Ribeiro Coutinho adoeceu e acabou se afastando do governo, que ficou a cargo de Pedro Gondim.

Gondim sentia-se o candidato natural para 1960, mas Ruy Carneiro, cacique maior do seu partido, o PSD, indicou o irmão, Janduhy. De temperamento forte, Pedro não aceitou a imposição e renunciou ao mandato para ser candidato. Acabou expulso do PSD e foi para o PSB, partido pelo qual derrotou sua antiga legenda: Gondim 148.960 votos, contra 124.041 de Janduhy Carneiro. Ele governou o estado até janeiro de 1966.

Eleito deputado federal, teve o mandato cassado pela ditadura militar em sete de fevereiro de 1969. Foi anistiado em 1979 e tentou se eleger senador em 1982, sem sucesso.

Relembrando a trajetória do comandante do gondinismo, vale a pena ouvir o jingle marcante de Pedro Gondim nas eleições de 1960. “Quem é o homem? O homem é Pedro!”


Nenhum comentário

.