Seminário discute mobilidade urbana e transporte público em Campina Grande


Da assessoria
(Sem edição)

Nesta sexta-feira, dia 03 de junho, a partir das 08 horas, no Teatro FACISA, em Campina Grande, será realizada a quarta edição do Seminário Cidade Expressa. O evento é promovido pelo Comitê Técnico de Mobilidade Urbana de Campina Grande. Este ano, o tema central será “Mobilidade Urbana e Transporte Público Coletivo”. O “Cidade Expressa” será dividido em dois módulos temáticos, nos quais os especialistas apresentarão experiências nos assuntos propostos pela coordenação.

Entre os convidados pelo CTMU para contribuírem com as discussões estão o urbanista Nazareno Stanislau, do MDT – Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos; e o jornalista Marcos de Sousa, especialista em Mobilidade Urbana Sustentável, atuando na organização Mobillize Brasil; André Dantas, da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, engenheiros Carlos Batinga e João Braga, respectivamente secretários de mobilidade urbana de João Pessoa e Recife, além da coordenadora do Plano de Mobilidade Urbana de Campina Grande, engenheira Valéria Barros.

Ainda na ocasião, a Prefeitura Municipal fará a prestação de contas das ações e obras de Mobilidade Urbana realizadas em Campina Grande pela atual gestão, conforme previsto no Artigo 18 da Lei Complementar 095/15.

Mobilidade com Inclusão social

De acordo com Anchieta Bernardino, um da coordenação do seminário, promover mobilidade, inclusão social e o direito à cidade é o principal desafio de Campina Grande nos próximos anos. Na ótica de Anchieta, o crescimento urbano e da frota de veículos congestionando ruas e avenidas, geram demandas que deixam os gestores municipais com a enorme responsabilidade de administrar uma necessidade crescente de serviços essenciais sem contar, contudo, de uma estrutura adequada, do ponto de vista financeiro e gerencial.

Para a engenheira Valéria Barros, coordenadora do Plano de Mobilidade Urbana de Campina Grande, o “progresso” gerou um impacto no perfil das cidades, com repercussão no desenvolvimento econômico, provocado por essa nova realidade urbana. Para a engenheira, se faz necessário e urgente encontrar soluções para assegurar um processo de mobilidade urbana que ofereça serviços essenciais dentro de uma estrutura adequada, que garanta deslocamentos a pé, transporte por bicicletas, transporte por ônibus, e transporte individual.

“Cada modalidade exercendo o seu papel dentro do contexto urbano respeitando a equidade do espaço urbano, ou seja, a justiça natural que faz com que se respeite imparcialmente o direito de cada um”, completou.

Durante o Seminário, o Comitê Técnico de Mobilidade Urbana fará a apresentação da prestação de contas das ações de mobilidade urbanas executadas no município, atendendo as diretrizes do Plano de Mobilidade e conforme as exigências do artigo 18 da Lei Complementar 095, que exige essa prestação de contas.

Nenhum comentário

.