Jornalismo

Profissional atuando desde 2008 no mercado, com passagem por todos os meios. Experiência, credibilidade e qualidade

Comunicação institucional

Profundo conhecimento da dinâmica e caminhos da comunicação institucional eficiente, quer no setor público, quer na esfera privada

Direito

Advogado com atuação na área cível em geral e foco em direito do consumidor, além de assessoria legislativa para supervisão e elaboração de projetos

Cursos online

Didática diferenciada, metodologia direta, clara e objetiva buscando a máxima eficiência do estudo

Blog

Qualidade da água pode não sustentar abastecimento de Boqueirão até o final do ano, afirma especialista


Especialista em recursos hídricos e uma autoridade respeitada no tema, o professor Janiro Costa afirmou à reportagem da Campina FM que o maior problema atualmente não é a baixa quantidade de água no Açude de Boqueirão, mas a qualidade destas reservas. De acordo com os dados da Aesa, o Epitácio Pessoa conta, atualmente, com menos de 10% de sua capacidade total, mas, segundo admitiu à emissora ontem o gerente regional da Cagepa, somente a metade desse volume poderá ser utilizada para o consumo humano.

Sobre as expectativas da Cagepa e da Agência Nacional das Águas (ANA) de que Boqueirão deve garantir-se ativo até janeiro ou fevereiro, o especialista aponta um porém. “O que a ANA e ninguém pode prever com segurança é que a água se manterá com condições de ser potabilizada e distribuída para a população até janeiro. Porque, na proporção que o nível d’água vai baixando, vai haver uma concentração maior de tudo o que existia ali dentro, a partir dos próprios sais da água e até matéria orgânica”, comentou.

Conforme Janiro, no segundo semestre, com uma maior evaporação, a qualidade do líquido do manancial tende a se deteriorar mais rapidamente. “Fala-se muito pouco sobre essa questão da qualidade, porque esse é o grande risco do momento. A qualidade da água pode não sustentar (o abastecimento) até o final do ano, porque fica sem condições de ser tratada, a estação de tratamento não terá condições de retirar, por exemplo, as toxinas lançadas pelo desenvolvimento das cianobactérias, venenosas à saúde”, explicou.

O professor acrescentou que somente as chegadas de chuvas ou da transposição poderá melhorar a qualidade da água do manancial. Janiro lembrou, entretanto, que a Cagepa vem acompanhando semanalmente esse aspecto, corroborando a fala do gerente regional da companhia, Ronaldo Menezes, que afirmou que esse acompanhamento tem sido diuturno.

Para quem não sabe, Janiro Costa Rêgo é graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco, com mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (atual UFCG) e doutorado em Recursos Hídricos Hidrologia e Hidráulica pela Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover.

Para ouvir a fala de Janiro Costa, clique AQUI

Authorism Theme

Jornalismo

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Comunicação

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Direito

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.!

Cursos

4th one time fitness expert, wellness writer, personal trainer, group ex health coach. I am advocates of everything good in the fitness industry and of the people who make it great!

Imagens de tema por richcano. Tecnologia do Blogger.