Parque do Povo não utilizará água de Boqueirão durante o Maior São João do Mundo, garante coordenador


Diante do agravamento da crise hídrica com a iminência de colapso do Açude de Boqueirão, o coordenador do Maior São João do Mundo, Temi Cabral, garantiu que medidas para autossuficiciência do Parque do Povo durante os trinta dias de festa já foram implementadas, ampliando as ações que haviam sido desenvolvidas no ano passado. As informações foram dadas ao Jornal Integração, da Campina FM.

“Fizemos este ano a perfuração de três novos poços no Parque do Povo. Um não deu uma vazão satisfatória, mas outro deu uma vazão de dois mil litros por hora e também foi perfurado outro no Distrito dos Mecânicos, com capacidade maior. Além da capacidade que tínhamos na caixa d’água de 120 mil litros, estamos dobrando essa capacidade para 230 mil litros, através do bombeamento desses poços”, explicou Temi.

O coordenador também explicou que, se necessário, ainda haverá o apoio de carros-pipa, assegurando, segundo ele, que não será necessário recorrer a Boqueirão. “Não teremos a utilização de nenhum manancial, da reserva hídrica do Açude de Boqueirão”, asseverou. Ele também relatou em quais demandas essa água de poço será utilizada. “A orientação é que seja utilizada na limpeza, na estrutura do Parque do Povo. As barracas têm os reservatórios próprios para a parte de alimentos”, acrescentou.

Temi Cabral revelou qual a dimensão da demanda de água no quartel general do forró. “Dentro do levantamento da Secretaria de Serviços Urbanos, nos momentos de pico, como o dia 23 de junho, na maior capacidade de público e nos grandes shows, o volume máximo que se utiliza no Parque do Povo é na média de 200 mil litros, o que a gente já está suprindo toda essa necessidade”, disse.

Nenhum comentário

.