Crítica voraz da MP 242, Daniella faltou à votação e não deu explicações a servidores


A deputada estadual Daniella Ribeiro, do PP, mostrou-se uma das vozes mais críticas à Medida Provisória 242, do Governo do Estado, que congela os salários dos servidores públicos por conta – segundo o Palácio da Redenção – da crise econômica. Antes de a matéria ser apreciada no plenário da Casa de Epitácio Pessoa, a pepista não poupou críticas à medida, mas, no dia da votação, ela, assim como os deputados Manoel Ludgério (PSD) e Ricardo Marcelo (PEN), faltou à sessão.

De acordo com o professor Nelson Júnior, presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Paraíba e integrante do Fórum dos Servidores, os deputados faltosos não apresentaram qualquer justificativa para a ausência na polêmica sessão. O sindicalista até ponderou que a falta pode ter se dado por algum justo motivo, mas lamentou a falta de explicações.

O silêncio mais incômodo foi o de Daniella Ribeiro, justamente por sua veemência na crítica à matéria. “Nós contávamos com o voto da deputada contrário à medida. É uma situação difícil. Como é que você diz que é oposição ao governo, dizia votar contra a MP 242 e, no dia da votação, está ausente? Eu não gostaria de fazer juízo de valor, a deputada pode ter tido algum problema, mas, politicamente, isso leva a outras reflexões. Será que a deputada está se aproximando da base do governo? Não sei. Esperamos que a deputada tenha faltado por um motivo de força maior, mas isso quem tem que explicar é ela”, declarou Nelson Júnior.

INCOMUNICÁVEL

A reportagem da Campina FM procurou o deputado Manuel Ludgério, que, no dia seguinte à votação, afirmou que não poderia atender o telefone porque acompanhava a esposa em uma cirurgia. Não houve contato com Ricardo Marcelo. Quanto a Daniella, algumas tentativas foram feitas, mas as ligações não foram atendidas e sua assessoria informou que ela estava “incomunicável”.

Nenhum comentário

.