Secretário acusa Estado de “autoritarismo institucional” e diz que Campina queria ser tratada como João Pessoa

O secretário de Obras e de Planejamento da Prefeitura Municipal de Campina Grande, André Agra, garante que o Governo do Estado não encaminhou o pedido de licenciamento para obras na rua João Suassuna. Ontem, a superintendente da Suplan, Simone Guimarães, revelou que a ordem de serviço para a obra deve sair em vinte dias e criticou a PMCG por, segundo ela, não ter dado continuidade à extensão.

“Com o maior respeito a Simone, que considero uma das técnicas competentes do Governo do Estado e já conversei com ela meses atrás, mas, do ponto de vista da obrigação legal, qualquer intervenção dentro do município, considerando que a jurisdição dentro do município é o prefeito, quem cultua o mínimo de técnica de planejamento e respeita o que é planejamento urbano sabe que toda obra precisa convergir com os planos da cidade”, comentou Agra.

André disse que quer uma reunião técnica para conhecer o que a Suplan pretende fazer na João Suassuna. “Como você vai fazer uma reforma na sua casa e o proprietário da casa não sabe o que é? Isso é um ponto, que beira uma espécie de autoritarismo institucional incompatível com a governança moderna”, acrescentou, assegurando que está aberto a dialogar com o Estado.

O secretário garantiu que as obras da João Suassuna serão retomadas pelo Município, e alfinetou o Palácio da Redenção. “É interesse do prefeito Romero Rodrigues que o Estado ajude Campina Grande? Óbvio. A gente pede isso desde janeiro de 2013, um convênio, e até hoje não foi feito nenhum. É interesse primordial que o Estado invista em Campina como investe em João Pessoa. Era o sonho do campinense. Mas, tem que haver compatibilização e planejamento”, ponderou.

Nenhum comentário

.