Procuradoria acusa ex-prefeito de ter emitido R$ 12 milhões em cheques sem fundo


O procurador geral do Município de Campina Grande, José Fernandes Mariz, disse nesta quinta-feira que uma auditoria teria confirmado repasses de cheques sem fundos que totalizariam quase R$ 12 milhões durante os dois últimos anos da gestão do ex-prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), hoje deputado federal.

“A auditoria da Secretaria de Finanças identificou que alguns balancetes enviados pelo ex-prefeito ao Tribunal de Contas continham extratos bancários que, digamos assim, não guardavam fidelidade com os originais. Quando foi feito o cruzamento de informações dos extratos bancários enviados ao Tribunal de Contas com os extratos oferecidos pelo próprio Banco do Brasil, se verificou alguns fatos extremamente curiosos”, declarou Mariz à Campina FM.

O procurador deu detalhes: “O extrato original apresentava a informação que existia a devolução de cheque sem provisão de fundos e no extrato que ia ao Tribunal de Contas não existia essa informação. De maneira que no documento oficial constava a cobrança pela taxa pela emissão de cheque sem provisão de fundos, e no extrato que ia ao Tribunal de Contas não constava isso. A auditoria, criteriosa, mandou buscar mais informações de microfilmagens desses cheques”.

Até o Treze Futebol Clube, segundo Mariz, teria recebido um cheque sem fundos. Ainda de acordo com o procurador, algumas empresas que receberam cheques não tinham prestado qualquer serviço ao Município. O deputado Veneziano ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Nenhum comentário

.