O que leva um sindicato a se indispor com uma lei que beneficia a categoria?


Entrou em vigor no ano passado a Lei Municipal N° 6.142 de 24/08/ 2015, que estabelece penalidades para proprietários de postos de combustíveis que descontarem do salário dos frentistas os valores roubados durante assaltos.

Atualmente, há um valor fixado para o frentista manter no bolso com a finalidade de passar troco, mas, em caso de assalto, o que ultrapassar esse teto seria descontado do salário do trabalhador, o que a lei agora proíbe.

O presidente do Sindicato dos Frentistas, Evanilton Almeida, surpreendeu muitos ao se colocar de uma forma extremamente crítica à norma. Ele alega que já há uma convenção definindo a questão. Mas, a pergunta que fica no ar ainda assim é: o que leva um sindicato a se indispor com uma lei que beneficia a categoria?

Para entender melhor a polêmica, ouça a matéria veiculada pelo Jornal Integração na semana passada:


Nenhum comentário

.