AduePB promete “reação duríssima” à MP do Estado e não descarta greve


O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Paraíba (AduePB), professor Nelson Júnior, prometeu uma “reação duríssima” da categoria, em parceria com demais servidores do Estado, à medida provisória editada pelo governador Ricardo Coutinho na semana passada suspendendo o reajuste do funcionalismo por conta da crise.

Nelson ataca o argumento do socialista. “Todo ano ele inventa uma situação nova para retirar recursos dos servidores. O ano passado deu 1% de aumento; agora é 0%. O governador está construindo uma política que no ano que vem vai proporcionar uma redução de salário. Depois de 1% e 0%, a próxima medida será reduzir salários dos servidores”, ironizou.

O sindicalista ainda acusou a gestão estadual de menosprezar a UEPB. “É com indignação que vemos como o Governo do Estado trata a UEPB. Até mesmo os PCCRs das várias categorias estão suspensos, o que significa dizer que os professores da UEPB, no ano de 2016, que teria direito a progressão funcional, não terão essa progressão”, disse.

O professor admitiu, inclusive, que uma greve dos docentes, mesmo após os cinco meses de paralisação em 2015, não está descartada. “Uma greve não está fora de contexto, não está fora de discussão. Agora, é claro que tudo isso tem que ser muito bem discutido não só na UEPB, mas com outras categorias do Estado. O que precisa ficar claro é que teremos uma reação conjunta dos servidores, uma reação duríssima a essa política do Governo do Estado”, complementou.

Um comentário

alex alves disse...

Se houver greve novamente deve cortar o ponto. Já virou palhaçada. Estão usando a UEPB para fins políticos.

.