Reportagem: Ações para o enfrentamento da crise na Paraíba

Criação do Fórum. Foto: Val da Costa/Sebrae

No momento em que o Brasil enfrenta uma crise econômica que já levou o governo federal a implementar cortes profundos nos investimentos, realidade agravada no semiárido nordestino pela estiagem, o Sebrae lançou na última quinta-feira, 11, na Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande, o Fórum Estadual de Secretários e Dirigentes Municipais de Desenvolvimento Econômico da Paraíba. O evento contou com as presenças de auxiliares de diversas prefeituras, prefeitos e do secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado, Laplace Guedes.

De acordo com o Sebrae, a Paraíba é o 12º estado do país e o quinto do Nordeste a criar o fórum. “O fórum busca provocar a governança local e o surgimento de lideranças. É preciso que o desenvolvimento econômico esteja nas prioridades da gestão municipal e que os micro e pequenos empresários estejam envolvidos nesse processo”, ponderou o superintendente do Sebrae Paraíba, Walter Aguiar.

O secretário Laplace Guedes mostrou-se preocupado com a crise econômica somada à crise hídrica que a Paraíba, assim como outros estados nordestinos, enfrenta. No entanto, para Laplace, a hora é de encarar as adversidades com ações específicas. “O grande problema dessa crise é que ela vem acompanhada de outras, como a hídrica. Nesses instantes, é preciso que haja todo um planejamento voltado para a política pública específica, que possa ser efetivada”.

Dentre as iniciativas apontadas pelo secretário e que, segundo ele, já vêm sendo adotadas pelo Governo do Estado, estão medidas estruturantes e melhoria na mobilidade. “O governo está preocupado em garantir para a Paraíba a melhor malha viária deste país. Para isso, tem desenvolvido uma política pública voltada para interligar todos os municípios”, declarou.

E o que isso tem a ver com desenvolvimento econômico? “Toda a produção será escoada com mais facilidade, haverá maior estímulo ao investimento, porque hoje os investidores fazem dois questionamentos quando planejam investir em uma região: se tem água e se tem bons acessos viários”, explica o secretário. De acordo com ele, nesse sentido, o Estado tem buscado junto ao Governo Federal que a adoção de ações efetivas de segurança hídrica se tornem realidade o quanto antes na Paraíba.

O maior exemplo é a transposição das águas do rio São Francisco. “O Governo do Estado tem investido na malha viária e trabalhado pela transposição. Com ela, iremos vencer a nossa crise hídrica. Enquanto isso, tem havido um investimento considerável nas adutoras”, complementou o secretário, que também destacou a interlocução do Estado, através, por exemplo, do Orçamento Democrático, com os municípios.


Para João Peixoto, consultor do Sebrae, o diálogo e a troca de experiências entre governos e gestores têm, de fato, um papel importante na economia, sobretudo nesse momento de crise. “Diante desse momento de limitação, essas experiências que ocorrem na Paraíba, nos municípios, devem ser ressaltadas, até como forma de exemplo, de referencial para outros gestores como políticas públicas locais que promovam o desenvolvimento”, analisa, referindo-se, dentre outros caminhos, ao fomento dos pequenos negócios.

“Diante da crise, são os pequenos negócios que têm criado uma base de sustentação capaz, inclusive, de fazer com que as cidades encontrem saídas, com geração de novas empresas, de circulação de riquezas e criação de empregos”, destaca.
.

Municípios focam nas potencialidades econômicas


Prefeito Jonilton - Foto: De Olho no Cariri
O prefeito de Juazeirinho, Jonilton Fernandes, reconheceu a necessidade de estimular os micro e pequenos empreendimentos, mas destacou também a importância do trabalho de estruturação das potencialidades locais, caso, naquele município, da cadeia produtiva de minerais não metálicos. “É a cerâmica vermelha, o caulim e todos os tipos de minerais que possuem potencial econômico na nossa cidade. Além disso, devemos pensar na formalização dos pequenos empreendimentos, que deverão passar, num futuro próximo, a ser fornecedores das compras municipais”, ressalta.

Jonilton ainda apontou a união de forças de cidades vizinhas na formação de consórcios. Recentemente, ele foi eleito presidente do Consórcio de Desenvolvimento Local Regional Sustentável, que reúne dez municípios. “A idéia é superarmos a crise e termos, inclusive, mais peso político na busca por programas governamentais”, conta.

Já o secretário de Desenvolvimento Econômico de Patos, Everaldo Lima, avaliou que a crise ainda não afetou gravemente os segmentos econômicos da cidade, mas revelou que a administração do município tem buscado se antecipar à tempestade. O auxiliar da prefeitura patoense apontou a necessidade de estimular o setor de comércio e serviços, base econômica da cidade, e investir na industrialização.

“Temos um parque industrial ainda pequeno, onde desponta o segmento coureiro-calçadista. Mas, estamos, juntamente com a Cinep, reordenando o distrito industrial, para que Patos não seja apenas ‘consumista’, mas produtora”, frisou. Everaldo ainda registra o posicionamento geográfico de Patos como um fator a ser explorado. “Nossa cidade é cobiçada por sua posição. Estamos próximos a três outros estados e há uma grande procura das empresas de distribuição, de logística, para se instalar no nosso município”, comemorou.
.

Boas notícias em meio à turbulência


Durante discurso na solenidade de instalação do Fórum Estadual de Secretários e Dirigentes Municipais de Desenvolvimento Econômico da Paraíba, o secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico do Estado, Laplace Guedes, após reconhecer as dificuldades enfrentadas no atual cenário, trouxe informações positivas.

Além de pontuar o crescimento na geração de empregos no setor industrial nos últimos anos, o secretário lembrou que de 2013 a 2014 o setor de serviços cresceu 8,8% na Paraíba, o maior crescimento registrado na região Nordeste e o quarto em todo o país. Para Laplace, o prognóstico do quadro de momento aponta para uma superação da crise na Paraíba, sobrevivendo aos “traumas” que a economia enfrenta.

“Traumas não deixarão de haver. Mas, o Governo do Estado tem feito multiplicar cada centavo que entra no cofre, através de serviços e políticas públicas. Estamos em Campina e, reparem, só este ano já houve duas inaugurações promovidas pelo Estado na cidade”, asseverou.

Focando no setor do microempreendedorismo, o consultor João Peixoto, do Sebrae, também apresentou informações que implicam em boas perspectivas. “A realidade da Paraíba é diferenciada no contexto nacional. O desenvolvimento do setor microempresarial aqui no Estado é um desenvolvimento franco, sólido e que vem atingindo excelentes patamares no contexto brasileiro”, garante.

“A Paraíba se destaca, inclusive, com premiações em nível nacional, exemplos de sucesso aqui nas cidades paraibanas, o que justamente faz com que esses exemplos sejam estendidos, inclusive, para todo o território nacional”, completou. Peixoto ainda ressaltou a importância do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, que está em sua nona edição e, de acordo com ele, “se propõe a valorizar, identificar experiências exitosas, bons exemplos nos municípios, como forma de estimular os pequenos negócios”.

Matéria nossa, capa do jornal A União deste domingo, 14

Nenhum comentário

.