Prefeitura de Campina Grande sorteia 288 apartamentos do Residencial Vila Nova da Rainha II

Em um Teatro Municipal Severino Cabral completamente lotado, a Prefeitura de Campina Grande sorteou na tarde desta quinta-feira, 23, mais 288 apartamentos do Residencial Vila Nova da Rainha II, obra construída em parceria com o Ministério das Cidades, dentro do programa Minha Casa Minha Vida.

Seguindo o que recomenda a portaria Nº 595, do Ministério das Cidades, a qual estabelece critérios para a distribuição das unidades habitacionais, 100 apartamentos foram pré-selecionados para um grupo de moradores de áreas de risco, deficientes e idosos, ficando o restante para o sorteio propriamente dito.

"As orientações da portaria Nº 595 dizem que o município pode beneficiar as pessoas inseridas nesses critérios. Então nós pré-selecionamos moradores do Canal da Ramadinha e Canal da Lama (Santa Rosa)", explicou Alexleide Soares Mota, coordenadora de Habitação de Interesse Social, da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan).

Desde 30 de maio do ano passado, 8.092 pessoas se inscreveram para concorrer aos apartamentos do Vila Nova da Rainha II. Após criteriosas análises de documentação, 6.921 ficaram habilitadas, 509 foram excluídos do processo, 270 tornaram-se pendentes e seis pessoas desistiram.

O sorteio para as unidades do novo residencial, que foi construído no terreno do antigo Matadouro Municipal, no bairro de Bodocongó, vai atender também aos servidores públicos municipais efetivos, trabalhadores do setor polo calçadista do bairro de Bodocongó e pessoas inscritas no aluguel social do município. Todos os inscritos precisam ter renda familiar bruta inferior a R$ 1.600,00.

Além disso, os interessados não podem ter restrições de crédito, sobretudo no Cadastro Informativo de Crédito Não  Quitados no Setor Público Federal (Cadin).

Dona do vigésimo segundo papel retirado do globo, a estudante Raquel Alves da Silva, de 30 anos, morador do bairro das Malvinas, ficou emocionada ao ouvir seu nome sorteado.

"Moro de favor em uma casa cedida por familiares, sou mãe solteira e há cinco anos luto para ter o meu lugar, minha casa. Estou muito feliz, graças a Deus", comentou Raquel, abraçada com sua filha Maria Heloisa, de 4 anos.

O secretário de Obras de Campina Grande, André Agra, que participou da solenidade,  comemorou a entrega já concretizada de 1.985 unidades habitacionais por parte da prefeitura.

"A pretensão é que até o final da gestão a Prefeitura de Campina Grande entregue até 8.000 casas, o que se configura num recorde histórico. A ideia do prefeito Romero Rodrigues é tentar resolver o máximo possível dos casos. E já estamos diminuindo consideravelmente o déficit habitacional da cidade. Então quem não foi sorteado agora, ainda terá a chance de ser contemplado com as 4.100 casas do Complexo Aluízio Campos, por exemplo", destacou o secretário.

A partir de agora, as 288 pessoas sorteadas vão passar por nova análise de documentação. É uma espécie de investigação para evitar que proprietários de outras unidades habitacionais acabem ganhando outro imóvel.

Fonte: Codecom

Nenhum comentário

.