Por unanimidade, Câmara de Campina Grande reconhece AMA como instituição de utilidade pública


A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou no início da tarde desta quinta-feira (18) Projeto de Lei de autoria dos vereadores Sargento Régis e Pimentel Filho reconhecendo o projeto AMA – Amigos do Autista, do Instituto Brenda Pinheiro – IBP de Campina Grande como uma instituição de utilidade pública. A matéria foi aprovada por unanimidade.

O projeto foi aprovado em bloco, junto com outras proposituras, após análise por parte dos parlamentares presentes à sessão. Durante a análise, os vereadores decidiram pela aprovação da matéria considerando a relevância do trabalho desenvolvido pela AMA, no tratamento de crianças inseridas no chamado Transtorno do Espectro Autista e a necessidade de ampliação desse atendimento, beneficiando crianças carentes de Campina Grande.

Como a sessão desta quinta-feira foi a penúltima do ano – mas a última para apreciação de matérias, excetuando-se a Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO – os vereadores se desdobraram para votar todos os projetos que estavam pendentes. Dentre eles, o da AMA. A sessão final do exercício de 2014, quando será votada apenas a LDO, está marcada para a próxima terça-feira (23).

Diretores a AMA, a exemplo de Élio Penteado, Carlos Magno e Adriana Macedo participaram da sessão e comemoraram a aprovação. Eles agradeceram a iniciativa de Sargento Régis e Pimentel Filho e a decisão dos demais parlamentares presentes à sessão de aprovar a iniciativa, de forma unânime.

AMA - A AMA é uma entidade ligada ao instituto Brenda Pinheiro – IBP que desenvolve atividades no tratamento de crianças classificadas dentro do transtorno do espectro autista, através dos métodos TEACH, ABA e PEC’S, que são métodos utilizados em todo o mundo, com comprovação científica de eficácia. Na Paraíba existem apenas duas AMAs, uma instalada em João Pessoa e a outra em Campina Grande.

Eis algumas características das crianças autistas: dificuldade de relacionamento com outras crianças; ausência ou atraso de fala ou de linguagem; riso inapropriado; pouco ou nenhum contato visual; aparente insensibilidade à dor; perceptível hiperatividade ou extrema inatividade; rotação de objetos; ausência de resposta aos métodos normais de ensino; insistência em repetição; resistência em mudança de rotina; não tem real medo do perigo (consciência de situações que envolvam perigo), dentre outras.

Fonte: Ass.Com Comunicação & Marketing

Nenhum comentário

.