Museu dos Três Pandeiros será aberto para visitação pública nesta terça-feira, 10


Em clima de Copa do Mundo e do Maior São João do Mundo, o Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP), da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), será entregue a população nesta terça-feira, dia 10 de junho, às 18h, em solenidade que vai contar com apresentações culturais de violeiros, sanfoneiros, poetas declamadores, além de uma homenagem a Jackson do Pandeiro.

Projetado por Oscar Niemeyer, grande gênio da arquitetura mundial, o espaço também conhecido como Museu dos Três Pandeiros vai receber os elementos culturais que contemplam música, dança, artesanato e a culinária da região nordestina. “Iremos contemplar artistas populares, de Jackson do Pandeiro a Herbert Viana”, destacou o professor Chico Pereira, pró-reitor de Cultura da UEPB.

Composto por peças de artesanato, música e literatura de cordel, o acervo será distribuído nas três estruturas circulares que remetem, cada uma, a um determinado gênero de arte. As obras relacionadas a Literatura são compostas por mais de 2 mil peças que remetem a tradição, costumes e expressões populares a exemplo de louças, barro, couro e estopa. Cerca de 20% do acervo será instalado de forma permanente no MAPP.

No que se refere a música, o acervo de Jackson do Pandeiro reúne peças que fizeram parte da vida do “rei do ritmo”, a exemplo de discos de vinil, roupas, violão, documentos e objetos pessoais. O espaço reservado para a literatura de cordel reunirá o acervo da Biblioteca Átila Almeida, que detém a maior coleção de cordel da América Latina, com mais de 18 mil exemplares. Os impressos retratam tanto a cultura universal quanto às peculiaridades da cultura nordestina.

“Será um acervo valioso que retratará a expressão popular e as peculiaridades da cultura nordestina”, comentou o professor Ângelo Rafael, que trabalha na montagem do acervo. Além do acervo permanente, o MAPP funcionará como espaço para exposições temporárias de artistas do Estado e realização de oficinas. Também servirá para a realização de eventos em homenagens a compositores e intérpretes, artesãos e os artistas populares, repentistas, cordelistas e todos os demais representantes de expressões da cultura popular paraibana e nordestina como Sivuca, Marinês e Elba Ramalho.

O instigante monumento de concreto e vidro projetado por Oscar Niemeyer, construído em uma área de 972 metros quadrados, está ancorado às margens do Açude Velho e embeleza a paisagem da Rainha da Borborema. De acordo com o pró-reitor de Cultura, Chico Pereira, o acervo do MAPP é muito rico e voltado para o resgate das tradições populares, projetando Campina para o “primeiro mundo”, conforme a visão do homem que fez da arquitetura a expressão do seu tempo.

Assessoria da UEPB

Nenhum comentário

.