Jornalismo

Profissional atuando desde 2008 no mercado, com passagem por todos os meios. Experiência, credibilidade e qualidade

Comunicação institucional

Profundo conhecimento da dinâmica e caminhos da comunicação institucional eficiente, quer no setor público, quer na esfera privada

Direito

Advogado com atuação na área cível em geral e foco em direito do consumidor, além de assessoria legislativa para supervisão e elaboração de projetos

Cursos online

Didática diferenciada, metodologia direta, clara e objetiva buscando a máxima eficiência do estudo

Blog

Após 03 juízes se averbarem suspeitos, Daniella Ribeiro é condenada a 08 anos de inelegibilidade por "uso" da Cariri


Após três magistrados terem renunciado à presidência do processo movido pelo Ministério Público Eleitoral contra a deputada estadual Daniella Ribeiro (PP), a presidência do feito foi transferida para a juíza Renata Barros de Assunção Paiva que, nesta segunda-feira, 31, prolatou sentença condenando a parlamentar a oito anos de inelegibilidade, período contado a partir de 2012, pelo uso indevido da Rádio Cariri AM nas últimas eleições municipais.

A sentença ainda atinge dois radialistas que eram ligados à emissora e que, de acordo com a ação, teriam, durante a campanha, assumido postura que privilegiava a então candidata do PP à Prefeitura de Campina Grande, em detrimento dos demais concorrentes. O advogado Rodrigo Motta, que foi vice de Daniella, foi absolvido, tendo em vista que, à época dos fatos denunciados pelo MPE, ainda não havia se incorporado à chapa, que teve como primeiro candidato a vice o petista Perón Japiassu.

No despacho, a magistrada desconstrói a tese da defesa da pepista, que, dentre outras alegações, aponta a “impossibilidade de responsabilização por (Daniella) não ter conhecimento prévio ou vinculação com a emissora”. Em resposta ao argumento, a juíza assevera que “a vinculação direta do candidato com o meio de comunicação não é elemento essencial para a caracterização do uso indevido”, mas, ainda assim, verifica que “constata-se nos autos elementos indicativos do alegado vínculo entre a candidata
investigada e a rádio Cariri AM”.

A sentença traz trechos de degravações de programas exibidos pela Cariri à época das eleições, além de artigo publicado por um dos radialistas também condenados, em portal da internet, no qual, ao entender da magistrada, o profissional reconheceria explicitamente o papel da Rádio Cariri na campanha da candidata do PP.

“Por todas as razões aqui esposadas, conclui-se pela procedência do pedido, com o reconhecimento do uso indevido do meio de comunicação Cariri AM em claro beneficiamento à candidatura da primeira investigada, Daniella Ribeiro, a qual deve ser responsabilizada ante as suas presumíveis ciência e anuência para com os fatos praticados”, complementa Renata Barros de Assunção Paiva.

Durante a campanha, a Cariri recebeu uma série de condenações por conduta vedada, resultantes em multas que chegaram perto da casa dos R$100 mil. A deputada estadual ainda não se pronunciou oficialmente, mas cabe recurso da decisão.

Authorism Theme

Jornalismo

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Comunicação

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.!

Direito

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.!

Cursos

4th one time fitness expert, wellness writer, personal trainer, group ex health coach. I am advocates of everything good in the fitness industry and of the people who make it great!

Imagens de tema por richcano. Tecnologia do Blogger.