Senador Aécio Neves tem pedido de remoção de links negado pela Justiça


A Justiça de São Paulo negou, ao senador Aécio Neves (PSDB) ação de bloqueios e remoções de informações na Internet. Aécio, que também é pré-candidato do PSDB à presidência da República em 2014, tentou retirar de sites de buscas e redes sociais links e perfis que relacionam seu nome ao “uso de entorpecentes” e desvio de dinheiro no período em que foi governador de Minas Gerais.

Aécio não conseguiu derrubar as notícias em primeira instância, segundo o jornal Folha de S. Paulo, mas entrou com recurso, com pedido de liminar. A desembargadora responsável pela análise do caso também não foi favorável ao tucano. O mérito do processo ainda aguarda análise.

Pela ação, o senador tentou excluir notícias que o acusam de desvio verbas na saúde em MG e remover 19 termos encontrados em sites como Google, Yahoo e Bing, da Microsoft, que aparecem como sugestões de pesquisas sobre o assunto. Sobre a vinculação ao consumo de drogas, o processo corre em segredo de Justiça e foi iniciado em dezembro do ano passado.

De acordo com os advogados de Aécio na ação, os sites tentam caluniar a trajetória do senador, distorcendo informações relativas a uma ação do Ministério Público de Minas que trata da aplicação de R$ 4,3 bilhões do orçamento da Saúde de Minas, quando Aécio era governador, destaca a Folha de S. Paulo.

Os advogados do Google, em contrapartida, disseram que Aécio "parece 'sensível' demais às críticas sobre sua atuação", afirmou a Folha. A empresa destacou ainda que é não é possível remover o conteúdo do ar sem prejudicar outras buscas relacionadas ao nome de Aécio.

Em nota, o PSDB disse que duas "mentiras" preponderam contra Aécio na Internet e que a vinculação com drogas forja "uma falsa acusação de enorme gravidade".

Fonte: O POVO Online

Nenhum comentário

.