Ivonete Ludgério sobre permanência na Câmara Municipal: “O que Romero decidir, assino embaixo”


O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, terá um trabalho de complexa engenharia a desenvolver neste início de ano para garantir a manutenção da suplente em exercício Ivonete Ludgério (PSB), líder da bancada governista, na Câmara Municipal após o retorno à casa do licenciado Tovar Correia Lima (PSDB), hoje chefe de gabinete da PMCG, que deverá se desincompatibilizar para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa em outubro.

Para que Ivonete continue no exercício do mandato, um dos seis vereadores eleitos pela coligação “Por Amor a Campina I” (que engloba PSB, PRP, PSDB e PSD) teria que se licenciar. A solução mais provável, que seria o deslocamento de algum dos seis para uma secretaria de governo, acaba não sendo tão simples por conta das particularidades envolvendo os eleitos.

Acontece que quatro dos seis – Bruno Cunha Lima (PSDB), Tovar Correia Lima (PSDB), Inácio Falcão (PTdoB) e Nelson Gomes Filho (PRP) – são pré-candidatos a deputado estadual, possibilidade que Jóia Germano (PRP) também ainda não descartou. Existem, ainda, especulações sobre uma eventual candidatura de Murilo Galdino (PSB), caso o irmão, Adriano Galdino (também PSB) encontre problemas para registro da candidatura à reeleição.

Questionada sobre o impasse, Ivonete não deu sinais sobre qual seria a engenharia possível, mas falou como soldado do seu agrupamento político. “A minha vontade é continuar na Câmara, mas o prefeito Romero é quem vai tomar essa decisão e o que ele decidir para minha carreira política eu assino embaixo”, declarou a parlamentar.

Ivonete deixou de garantir a titularidade nas eleições de 2012 por conta de apenas 68 votos. Ela obteve 3.622 sufrágios, contra 3.690 de Tovar, ficando com o tucano a última vaga da coligação.

Nenhum comentário

.