Polêmica: Vereador diz que RC desagrada deputados porque cortou regalias e não paga “mensalão”

 

O vereador campinense Napoleão Maracajá (PCdoB) deu uma declaração com profundo teor de polêmica ao analisar a relação do governador Ricardo Coutinho com a Assembleia Legislativa. No entendimento do parlamentar, o socialista seria malquisto por muitos deputados porque teria cortado regalias e se recusado a promover a prática do “mensalão”.

“Quando você vê o problema (do governador) com a Assembleia, por exemplo. De que a Assembleia reclama tanto? O que está por trás da insatisfação de alguns deputados? Eu acho que Ricardo, por exemplo, não se propõe ao mensalão. Eu acho que Ricardo não compactua com essa idéia de mensalão”, declarou, textualmente, Maracajá na manhã desta quarta-feira, 12, durante entrevista ao Jornal da Rede, da Rede Fé 102,7 FM.

Questionado se, com tais palavras, sugeria que nas administrações anteriores teria havido a prática do mensalão, o vereador não fugiu da raia. “Possivelmente. A insatisfação de muitos deputados é porque eles de fato tiveram muitas coisas cortadas ou reduzidas. E tem que ter mesmo. Deputado já ganha muito bem. A gente tem informação de que havia deputado que tinha R$300 mil, R$150 mil de assessorias”, disse.

E, em seguida, reafirmou sua tese. “Isso (regalias) precisa ser cortado mesmo. Se o governo fez isso, está de parabéns e todos os homens de bem da Paraíba deviam parabenizar o Governo do Estado por ter feito isso. Quem precisa de ajuda é o homem lá do campo, é o assalariado. Então, acho que muita insatisfação é porque Ricardo não se propôs a pagar mensalão”, completou.

Napoleão Maracajá, que atualmente cumpre seu primeiro mandato na Câmara Municipal e é presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), não se mostrou preocupado com a provável (má) repercussão das suas declarações junto aos deputados oposicionistas.

Nenhum comentário

.