Metuselá Agra se irrita com consternação por morte de radialista e chama vereadores de hipócritas


O vereador peemedebista Metuselá Agra estava furibundo nesta quarta-feira, 13, por conta do clima de consternação que tomou conta da Câmara Municipal em virtude da morte do radialista pernambucano Luiz Alberto, que, atualmente, trabalhava no Sistema Correio. Após ouvir algumas falas de colegas sobre o passamento de Luiz, Metuselá foi à tribuna e soltou o verbo, tratando deus e o mundo, inclusive seus pares, como hipócritas.

Metuselá lembrou que foi de sua autoria um projeto que concedia o título de cidadão campinense ao pernambucano, tendo, porém, a honraria sido abortada (é provável que pela primeira vez na história de Campina Grande), após revelações sobre o passado do radialista no vizinho estado, incluindo problemas com a justiça, terem sido trazidos à tona.

“Eu vinha (à tribuna) com outra temática. Mas, após ver essa série de homenagens que se faz ao repórter Luiz Alberto, eu comecei a me perguntar o quanto é hipócrita o ser humano”, disse o vereador do PMDB, para espanto de seus pares. Para Metuselá, Luiz Alberto amava Campina Grande e se sentiu “extremamente honroso” quando soube que receberia o título.

“Mas, foram lá esmiuçar a vida do cidadão, que foi condenado, defenestrado, tido como tarado, entre outros termos, por toda a imprensa, e inclusive vereadores desta casa. E, hoje, eu vejo de forma clara o quanto é hipócrita o ser humano. Quantas homenagens se faz a Luiz Alberto, que estaria honrado se tivesse sido homenageado em vida, a forma legítima e verdadeira e seu direito de se tornar cidadão campinense”, declarou Metuselá.

“Como pode ser uma coisa desse tipo. O cidadão diz hoje e amanhã, depois que o cara está podre, a parte material está se desfacelando, virou um santo, um cidadão extremamente de bem. Hoje ninguém quer condenar, defenestrar, macular a imagem, porque o cidadão é puro. Infelizmente, nós temos que assumir que somos verdadeiros hipócritas”, concluiu Metuselá, danado.

Nenhum comentário

.