Inácio Falcão revela que foi expulso do PSDB e diz que não teve direito a defesa

Após o anúncio de que o quinto suplente de vereador Gildo Silveira (PSDB) ingressou com ação na justiça pedindo o mandato do vereador Inácio Falcão, sob a acusação de infidelidade partidária, por ter trocado o PSDB pelo PTdoB, o parlamentar vinha evitando contato com a imprensa, mas, na manhã desta terça-feira, 19, foi enquadrado por um grupo de jornalistas e radialistas no Salão Azul.

Falcão tentou se esquivar, mas, diante da insistência dos profissionais da imprensa para que comentasse o caso, irrompeu em revelações, informando, pela primeira vez, que não saiu, mas foi expulso do PSDB. A tentativa de tratar o episódio como uma saída na base do comum acordo e pacífica teria sido um esforço para evitar a repercussão da expulsão.

O vereador é acusado de ter apoiado outras candidaturas nas eleições 2012 – Daniella Ribeiro (PP) no primeiro turno e Tatiana Medeiros (PMDB) no segundo – e um dossiê sobre o caso teria, inclusive, várias imagens de campanha supostamente evidenciando a infidelidade à candidatura tucana. Inácio Falcão nega e jura de pés juntos que votou e pediu votos para o hoje prefeito Romero Rodrigues.

O parlamentar afirmou que só foi notificado da sua expulsão 24 horas antes do prazo para mudança de partido para quem pretende ser candidato nas eleições 2014. O ex-tucano, que é diabético, diz que passou mal após receber a notificação, precisando, inclusive, buscar auxílio médico. Inácio Falcão isentou o prefeito Romero Rodrigues de responsabilidade no imbróglio, culpando diretamente a direção municipal da legenda.

Confirmado o fato, o plano do suplente Gildo Silveira de pedir o mandato do vereador na justiça por infidelidade partidária deverá perder o objeto, uma vez que, no caso, Falcão não teria saído por vontade própria. O processo interposto por Gildo já tramita no TRE, tendo como relator o juiz Tércio Chaves de Moura.

Nenhum comentário

.