Sábado é dia de poesia: “A terra caiu no chão”, de Zé da Luz

Visitando o meu sertão,
que tanta grandeza encerra,
trouxe um pedacinho de terra,
com muita satisfação.

Fiz isso na intenção,
como fez Pedro Segundo,
de quando eu deixasse o mundo,
levá-lo no meu caixão!

Chegando ao Rio pensei:
guardá-lo só para mim,
e num saquinho de brim,
essa relíquia encerrei!

Com carinho e com cuidado,
numa ripa do telhado,
o saquinho pendurei...

Uma doença apanhei...
E vendo bem próxima a morte,
lembrando as terras do norte,
do saquinho me lembrei...

Que cruel desilusão!!!
As traças, sem coração
meteram os dentes no saco,
fizeram um grande buraco...
E a terra caiu no chão!!!...

Zé da Luz

Nenhum comentário

.